Sorocaba e Região

Região de Sorocaba registrou 31 ataques a caixas em dois anos

Dados foram obtidos pelo jornal Cruzeiro do Sul por intermédio da Lei de Acesso à Informação
Três agências e uma joalheria foram atacadas em Ibiúna na mesma noite. Crédito da Foto: José Rui de Macedo / Cortesia

Em dois anos foram registradas 31 ocorrências de explosões a caixas eletrônicos na área do Comando de Policiamento de Área do Interior (CPI-7), que abrange 78 municípios, incluindo Sorocaba. Em 2017, foram 15 casos, enquanto em 2018 foram 16 ocorrências. Já em 2019, um caso foi registrado. Na cidade de Sorocaba foi registrado um caso em 2017, um em 2018 e um em 2019. Este último ocorreu em um caixa eletrônico localizado em um posto de gasolina na Vila Helena. As informações foram obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação, tendo como base dados de 2017 a janeiro de 2019, do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública (CIISP).

Leia mais  Operação prende envolvidos em explosão de caixas eletrônicos

 

A estatística inclui furtos, tentativa de furtos e roubos a caixas eletrônicos que utilizaram explosivos. Das 32 ocorrências, entre 2017 e 2019, 31 foram registradas na madrugada ou nas primeiras horas da manhã, entre 2h20 e 6h20. Apenas uma das ocorrências foi no meio da manhã às 9h57. O principal alvo sãos os caixas eletrônicos localizados em agências bancárias com 28 casos registrados, mas há também ocorrências em supermercado, rodoviária, posto de gasolina e até em uma prefeitura. Neste caso, de 23 de maio de 2017, uma quadrilha conseguiu levar aproximadamente R$ 35 mil de um caixa eletrônico localizado no saguão da Prefeitura de São Roque. O grupo entrou em confronto com policiais civis e três homens morreram.

Outra característica observada nesses casos é a presença de quadrilhas fortemente armadas, com conflitos e explosões que aterrorizam a população. Em um dos casos mais ousados, em agosto de 2018, criminosos atacaram três agências bancárias e uma joalheria em Ibiúna na madrugada do dia 8. A ação ocorreu por volta das 2h50 e durou cerca de 25 minutos. O barulho de tiros e explosões assustou moradores da cidade. Em fevereiro do mesmo ano, ao menos cinco homens explodiram caixas eletrônicos de uma agência localizada no Centro de Pilar do Sul. Segundo a Polícia Militar (PM), a ação ocorreu por volta das 3h e os bandidos conseguiram fugir com o dinheiro. A quantia levada não foi divulgada. Em setembro de 2018, o alvo foi uma agência bancária localizada na região central de Tietê.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) afirma que, desde o período citado pela reportagem, a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba identificou 20 suspeitos e um menor de idade por participação em ocorrências do tipo na região, solicitando a prisão preventiva dos envolvidos. De acordo com a SSP, esses casos são investigados em conjunto pelas DIGs e as unidades territoriais e, sempre que necessário, o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) também apoia as investigações. De acordo com a SSP, os casos de Ibiúna, Pilar do Sul e Tietê são investigados pela DIG de Sorocaba e delegacias de Pilar do Sul e Tietê, que trabalham para identificar e prender os autores.

Segundo a secretaria, ações integradas desenvolvidas pelas polícias Civil e Militar para coibir ataques a caixas eletrônicos resultaram numa redução de 27,7% no Estado no número de casos no segundo semestre de 2018, em comparação ao mesmo período de 2017. O órgão ainda diz realizar debates com outras instituições como a Febraban, o Exército e a União. Dentre as medidas, há a decisão do Exército de obrigar as empresas a terem escolta privada para evitar o extravio de dinamite e o mapeamento georreferenciado dos caixas eletrônicos para dar maior eficiência ao policiamento. (Priscila Fernandes)

Comentários

CLASSICRUZEIRO