Sorocaba e Região

Prefeitura renova contrato com a Proactiva para destino do lixo

Prorrogação será de mais seis meses, ao custo de R$ 9,5 milhões
Prefeitura renova contrato com a Proactiva para destino do lixo
Aterro de Iperó recebe cerca de 500 toneladas de resíduos de lixo por dia. Crédito da foto: Pedro Negrão / Arquivo JCS (1/4/2014)

Sorocaba vai renovar por mais seis meses o contrato com a empresa Proactiva Meio Ambiente Brasil Ltda, responsável pela execução de serviços de disposição final de resíduos sólidos domiciliares, comerciais, varrição e afins, ao custo de R$ 9,5 milhões. Isso significa que a cidade continuará a enviar o lixo produzido ao aterro sanitário da empresa, em Iperó. O último acordo com a Proactiva havia sido firmado no ano passado (com prazo de 12 meses) e publicado em 27 de abril de 2018 no Jornal do Município — o investimento foi de R$ 18,4 milhões. O vencimento do contrato vigente está previsto para o dia 9 deste mês.

Leia mais  Licitação para disposição final do lixo foi direcionada à Proactiva, afirma TCE

 

O primeiro acordo entre a Prefeitura e a empresa é datado de 9 de abril de 2015, com pagamento à época de R$ 15,1 milhões à Proactiva por um ano de serviços prestados. Desde o vencimento inicial, o contrato vem sendo prorrogado. No último fim de semana, o Cruzeiro do Sul publicou reportagem informando que cada munícipe de Sorocaba produz, em média, 760 gramas de lixo por dia. A cidade, então, gera 500 toneladas diárias de resíduos e, do montante, cerca de 3% passa por processo de reciclagem, realizado por três cooperativas.

Durante a campanha para as eleições em que foi eleito, uma das promessas citadas com frequência pelo prefeito José Crespo (DEM) tinha relação com a questão da destinação de resíduos. Naquele momento, Crespo falava sobre a possibilidade de implementação de uma usina de incineração de lixo na cidade, chamada de Unidade de Recuperação Energética (URE), modelo comum em alguns países europeus para transformar lixo em energia elétrica.

A Prefeitura foi questionada sobre o que há de efetivo no que diz respeito à possível URE. “Os estudos encontram-se em fase final de modelagem. Os trabalhos estão sendo executados pela Companhia Paulista de Desenvolvimento, empresa habilitada para tanto, através de chamamento público realizado pela Comissão de Parceria Público-Privada da Prefeitura. A expectativa é de que tais estudos e modelagem sejam entregues em aproximadamente 30 dias. Concluídos e entregues esses estudos, a Prefeitura os avaliará buscando a melhor forma de viabilizar o respectivo processo licitatório (para implementação da URE)”, informou, em nota. (Esdras Felipe Pereira)

Comentários