Sorocaba e Região

Prefeitura de Sorocaba nomeia nova assessora externa em Brasília

Decisão do prefeito José Crespo contraria parecer do TCE-SP quando da criação do cargo, em 2017
Prefeitura nomeia nova assessora em Brasília
O prefeito José Crespo apresentou a assessora Jane Claudia. Crédito da foto: Divulgação – Secom / Sorocaba

Pouco mais de cinco meses depois de exonerar Isabela Maria Serafim Tiezzi do cargo de assessora externa da Prefeitura de Sorocaba, em Brasília, o prefeito José Crespo (DEM) voltou a nomear uma profissional para o cargo: Jane Claudia Santin Martins, formada em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e em Jornalismo pela Faculdade Estácio de Sá. A exoneração de Isabela, à época, justificada pelo município como sendo por motivos pessoais, se deu 11 dias após o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) apontar que o cargo, criado em 2017 com aval da Câmara de Vereadores, não era justificável.

A nomeação de Jane foi publicada em 7 de dezembro no Jornal do Município de Sorocaba. O Cruzeiro do Sul questionou o Executivo a respeito dos valores dos vencimentos da assessora e não obteve retorno. Na época de Isabela, o salário era de R$ 11 mil, com custeio de despesas de alimentação, hospedagem e deslocamento para Sorocaba. Em material publicado na Agência de Notícias da Prefeitura, Crespo informou que um dos objetivos do trabalho de Jane será “estreitar laços com grandes articuladores do País”.

A nova assessora externa da cidade trabalhava, desde 24 de abril, como assistente técnica de gabinete na Câmara dos Deputados, no gabinete do líder do MDB, Baleia Rossi, de São Paulo. O salário era de R$ 13.311,13, segundo informações do Portal da Transparência da Câmara dos Deputados. A exoneração do cargo foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) um dia antes de ser nomeada para a função na Prefeitura de Sorocaba.

A reportagem perguntou à Prefeitura se a escolha de Jane teve motivação política. “O currículo da profissional é que foi determinante para sua contratação. Não existe nenhuma ilegalidade em se ter uma servidora atuando na capital do País em favor dos interesses do município”, respondeu, em nota. “O cargo ficou vago em decorrência de não ter encontrado profissional com as características necessárias”, acrescentou.

Além do trabalho de assistente técnica no gabinete de Baleia Rossi, Jane acumula no currículo, entre outras experiências, conforme informações do Linkedin, atividades como assessora de comunicação na Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, repórter de uma produtora em Brasília e editora e âncora de rádiojornal na emissora Band FM.

TCE-SP

Conforme publicação do Cruzeiro do Sul em 4 de julho, relatório de fiscalização do acompanhamento das contas anuais de Sorocaba, preparado pela Unidade Regional de Fiscalização de Campinas (UR-3) do TCE-SP, apontou como injustificável a contratação de uma servidora pública para atuar em Brasília. Diante da recontratação de uma profissional para o cargo, o TCE-SP informou que “se manifestará sobre o assunto quando julgar as contas do exercício de 2017, que está em instrução pelos órgão internos da casa”. 

Comentários