fbpx
Sorocaba e Região

Prefeitura confirma interesse em implantar escolas cívico-militares em Sorocaba

Sorocaba possui cinco escolas que se encaixam nos critérios solicitados pelo MEC
Escola Municipal Matheus Maylasky
Escola Municipal Matheus Maylasky, em Sorocaba. Crédito da foto: Aldo V. Silva (15/4/2019)

Sorocaba deverá ganhar escolas no novo modelo proposto pelo Governo Federal, chamadas Cívico-Militares. Conforme a Prefeitura, a intenção de adesão do município foi encaminhada ao Ministério da Educação (MEC) nesta sexta-feira (11) – último dia do prazo. O ofício foi assinado pela prefeita Jaqueline Coutinho (PDT).

Para aderir ao programa, as escolas precisam atender alguns critérios. Entre eles, terem situação de vulnerabilidade social e baixo desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Além disso, oferecer as etapas Ensino Fundamental II e/ou Médio e, preferencialmente, atenda de 500 a 1000 alunos nos dois turnos e que possua a aprovação da comunidade escolar para a implantação do modelo.

Para o secretário da Educação, Wanderlei Acca, apesar das unidades municipais de Sorocaba não atenderem alguns critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação, é fundamental que a cidade participe. “Alguns parâmetros colocados pelo MEC, tais como: escola de alta periculosidade, IDEB muito baixo, ou seja, aproveitamento de ensino muito ruim por parte dos alunos, entre outros, não estão inseridos na realidade das nossas unidades escolares de ensino fundamental ll. Todavia, é muito importante a Prefeitura de Sorocaba demonstrar que está aberta à aderir ao programa”, explica o secretário.

Por meio de nota, a Secretaria da Educação (Sedu) informou ter enviado a sugestão do programa do MEC para os conselhos de escola das cinco unidades de ensino fundamental ll do município. A ideia é ouvir as opiniões das comunidades escolares sobre o tema.

Segundo a Secretaria de Comunicação e Eventos de Sorocaba, a cidade possui cinco escolas que podem participar do programa. São elas: Matheus Maylasky, Achilles de Almeida, Getúlio Vargas, Leonor Pinto Thomaz e Flávio de Souza Nogueira. A Prefeitura disse ainda que, apesar de já ter encaminhado o ofício ao órgão, ainda não houve a definição de quais escolas farão parte do programa. Isso porque o MEC solicitou a indicação de apenas duas instituições de ensino. A Secretária de Educação informou que o prazo para esta indicação está aberto.

Sobre o programa

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma iniciativa do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. A proposta é implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país, até 2023, sendo 54 por ano.

Leia mais  Gestão Doria adere ao programa de escolas cívico-militares de Bolsonaro

 

Os militares atuarão no apoio à gestão escolar e à gestão educacional, enquanto professores e demais profissionais da educação continuarão responsáveis pelo trabalho didático-pedagógico. Participarão da iniciativa militares da reserva das Forças Armadas, que serão chamados pelo Ministério da Defesa. Policiais e Bombeiros militares poderão atuar, caso seja assim definido pelos governos estaduais e do Distrito Federal.

Abaixo-assinado

Um grupo criou um abaixo-assinado para a implantação de escolas cívico-militares, em Sorocaba. Conforme a petição, que é online, cerca de 900 assinaturas já haviam sido recolhidas até as 17h desta sexta-feira (11). Os alvos do abaixo-assinado, conforme divulgado no site, são a chefe do Executivo, a prefeita Jaqueline Coutinho e a Câmara Municipal de Sorocaba.

No abaixo-assinado, consta uma carta destinada à prefeita, além de citar o município de Campinas que aderiu ao programa do Ministério da Educação. Além disso, a carta inclui uma extensa explicação sobre o projeto e, por fim, esclarece que a petição será protocolada no gabinete de Jaqueline Coutinho. (Aline Albuquerque)

 

 

Comentários

CLASSICRUZEIRO