Covid-19 Sorocaba e Região

Prefeita diz que Sorocaba deve seguir orientação estadual sobre quarentena

Decreto do governador João Doria vence nesta terça (7) e a Prefeitura aguarda pronunciamento oficial
A prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho, e secretário de Saúde, Ademir Watanabe. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (6/4/2020)

A prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PSL), informou nesta segunda-feira (6) que aguardará o pronunciamento oficial do governo do Estado de São Paulo para decidir se a orientação pelo isolamento social e o fechamento do comércio em geral continua ou não. 

A declaração foi dada durante visita às instalações do novo hospital de campanha, na Arena Sorocaba, pela manhã. As novas orientações estaduais devem acontecer ainda nesta segunda, véspera da data em que vence a quarentena de 15 dias decretada no dia 21 de março.

Jaqueline afirmou que deverá seguir as orientações de acordo com o que for definido pelo governador João Doria (PSDB) sobre as medidas contra o novo coronavírus. Já o secretário de Saúde, Ademir Watanabe, disse que por enquanto os sorocabanos devem seguir a recomendação de isolamento social. 

Quarentena

O decreto sobre a quarentena permitiu o funcionamento, em caráter de excepcionalidade, de hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas, supermercados, hipermercados, padarias e açougues, além de callcenters, bancas de jornais, lojas de pet shop e serviços de transportes.

Os restaurantes e bares foram autorizados a funcionar só com delivery. De acordo com o que afirmou Doria na ocasião, nenhuma das medidas anunciadas seria restritiva ao trabalho das indústrias, porque elas não prestam atendimento ao público.

Calamidade pública

Além da quarentena determinada em todo o Estado de São Paulo, a Prefeitura de Sorocaba também decretou estado de calamidade pública na cidade. A medida obrigou o fechamento do comércio de uma maneira geral, incluindo shoppings, bares, teatros, casas de shows, festas e eventos.

Da mesma forma, restaurantes e lanchonetes só estão autorizados a operar no sistema de delivery. Já os serviços de saúde foram mantidos, assim como farmácias, supermercados e postos de combustíveis, feiras livres, padarias, postos de vendas de água e gás e pet shops. (Com informações de Ana Cláudia Martins)

Comentários