Sorocaba e Região

Políticos querem reverter situação do trem Sorocaba-São Paulo

Secretário do governo estadual, que é de Sorocaba, diz não haver nada conclusivo ainda
Políticos querem reverter situação do trem
Projeto do governo do Estado previa ligação por trem entre São Paulo e Sorocaba. Crédito da foto: Reprodução

O fato de Sorocaba mais uma vez ter ficado de fora do projeto do Trem Intercidades para São Paulo gerou insatisfação política. O deputado estadual Danilo Balas (PSL) informou que pretende se reunir com os demais parlamentares da região na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para discutir o problema e unir forças para reverter a situação futuramente. A deputada Maria Lúcia Amary (PSDB) afirmou que recebeu a notícia com surpresa e que solicitou reunião com representantes do Governo do Estado.

Além de Maria Lúcia e de Balas, o deputado Carlos Cezar (PSB) também foi questionado sobre as medidas que pretende tomar em relação ao anúncio feito pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), mas não se posicionou até o fechamento da edição.

Leia mais  Trem turístico entre Sorocaba e Votorantim terá mais dois vagões

 

O atual secretário de Habitação do Estado, o sorocabano Flavio Amary, foi procurado para comentar a situação, já que é um representante do município atuando diretamente no Governo do Estado e disse que não há nada conclusivo.

“Como sorocabano e integrante da equipe do governador João Doria acompanho com interesse, como sempre fiz, o desenvolvimento dos estudos, ainda sem conclusão, dessa alternativa da importante ligação ferroviária de passageiros entre Sorocaba e São Paulo”, afirmou ele em nota.

Leia mais  Sem prestígio e sem interesse

 

Na sexta-feira a CPTM realizou uma audiência pública na Capital para informar detalhes do projeto e esclarecer as dúvidas da sociedade e do empresariado e foi informado que Sorocaba está fora do projeto. “Foi um balde de água fria para toda a população da Região Metropolitana de Sorocaba”, lamentou o deputado Danilo Balas.

Ele lembrou que em 2012 houve uma reunião com políticos da região e o então secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, deu a previsão de que o Trem Intercidades São Paulo-Sorocaba estaria em funcionamento em 2018. “Infelizmente isso não foi feito e o Governo do Estado virou as costas para o transporte e para a RMS”, pontuou o parlamentar.

Embora considere a decisão de deixar Sorocaba de fora do projeto algo prejudicial ao município, Balas não acredita que haja um desprestígio político.

“Creio que foi um caso pontual, mas amanhã (hoje) estarei na Alesp e me reunirei com os demais deputados que representam a RMS para mostrar que temos força política”, afirmou. Reverter a situação de imediato, porém, será difícil, aos olhos do deputado, já que o processo de concessão já está em andamento.

Por meio de nota, Maria Lúcia disse que ficou insatisfeita com a notícia. “Recebi com grande surpresa a notícia de que Sorocaba não estaria incluída no projeto do Trem Intercidades, que fará a ligação de São Paulo com municípios do interior. Imediatamente pedi uma reunião com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi, e com o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, para averiguar toda a situação referente ao projeto”, informou a deputada, que é do mesmo partido do governador João Doria (PSDB).

Leia mais  Doria quer privatizar presídios paulistas e linhas da CPTM

 

Até sexta-feira existia a expectativa de que a linha de trem conectando a cidade com a capital paulista pudesse ser oferecida aos investidores em conjunto com as duas linhas do metropolitano, que juntas transportaram, em média, 1,089 milhão de passageiros em 2019. Essa possibilidade foi divulgada pelo atual secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, numa rede social no dia 16 de janeiro.

A única menção feita à Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) pela CPTM na audiência pública foi a possibilidade futura de expansão da linha 8 até Mairinque. (Larissa Pessoa)

Comentários