Sorocaba e Região

Colégio Politécnico premia vencedores do concurso de Redação, Poesia e Desenho

Evento marcou a participação do Colégio nas comemorações dos 150 anos da Perseverança III
Politécnico premia vencedores do concurso de Redação, Poesia e Desenho
Giovanna, Gabrielly e Rhuan com a diretora Sidnei Silva e o presidente da Perseverança III, Hélio Sola Aro. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Em sessão solene na noite de segunda-feira (12) no Templo da Loja Maçônica Perseverança III de Sorocaba, alunos do Colégio Politécnico receberam certificados e presentes como vencedores do concurso de Redação, Poesia e Desenho na instituição de ensino. O evento marcou a participação do Colégio Politécnico nas comemorações dos 150 anos da Perseverança III, que serão completados em 31 de julho de 2019.

O concurso abordou o tema “O respeito ao próximo: um mundo sem preconceito” para as categorias de Redação e Poesia. Na categoria desenho, o tema foi “Robôs x Humanidade”. Os vencedores foram classificados em primeira, segunda e terceira posições.

Politécnico premia vencedores do concurso de Redação, Poesia e Desenho
As vencedoras do tema Redação Ana Cristina e Maria Eduarda ladeadas por Sidnei Silva e Hélio Sola Aro. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Na Redação os três vencedores foram: 3º lugar – Maria Eduarda Moysés Girardi; 2º lugar – Geovanna Cruz da Silva; 1º lugar – Ana Cristina Rodrigues Henrique. Na Poesia os destaques foram: 3º lugar – Rhuan Henrique Gouvêa Alves; 2º lugar – Gabrielly Borges Pedroso; 1º lugar – Giovanna Letícia Bernardo. E no Desenho os vencedores foram: 3º lugar – Lucas Cardoso Monetto; 2º lugar – Alice Nunes Vieira; 1º lugar – Arthur Senger Albino Mentone.

Participaram das categorias Redação e Poesia alunos do 4º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio do Colégio Politécnico. Enquanto isso, da categoria Desenho os participantes foram alunos do 1º, 2º e 3º anos do ensino fundamental I.

Politécnico premia vencedores do concurso de Redação, Poesia e Desenho
Categoria Desenho: Alice, Arthur e Lucas com a diretora Sidnei e o presidente da Perseverança III, Hélio Sola Aro. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Os vencedores de Redação e Poesia leram os seus textos para a plateia composta de membros da Perseverança III e de convidados, entre os quais estavam presentes os pais, professores e a diretora do Colégio Politécnico, Sidnei Silva, que também foi homenageada com aplausos e cumprimentos pelo dia do diretor de escola comemorado na segunda-feira.

O apresentador do cerimonial que anunciou os vencedores do concurso, João Carlos Wey, disse que ser diretor de escola é enfrentar pressões, resolver ou ao menos minimizar problemas e ter coerência, equilíbrio, conceitos éticos que regem sua ação educativa. “Nosso Colégio está mais completo por tê-la como administradora e educadora”, disse Wey para Sidnei. Ele também falou aos professores: “Ajudem-nos a disseminar os novos grãos necessários para colhermos juntos os frutos de um novo tempo.”

150 anos

A sessão foi dirigida pelo presidente da Perseverança III, Hélio Sola Aro, ladeado pelo grão-mestre honorário do Grande Oriente do Brasil, Laelso Rodrigues, e de Rubens Cury Basso. Entre os presentes também estavam o presidente do Conselho Administrativo do Jornal Cruzeiro do Sul, César Augusto Ferraz dos Santos, o membro do conselho editorial do Cruzeiro do Sul, Luiz Antonio Zamuner, e o promotor de justiça Antonio Domingues Farto Neto, que é orador da Loja Maçônica.

Em seu discurso, referindo-se às comemorações da Perseverança III, Hélio Sola Aro disse que “poucas instituições chegam a essa marca de 150 anos”. E cumprimentou os alunos que se envolveram no concurso: “Todos os que participaram merecem o nosso respeito, o nosso carinho e a nossa admiração.”

Farto Neto destacou os princípios da Perseverança III baseados nos valores de igualdade, fraternidade e liberdade. E disse que eles não existem sem a educação. Nesse contexto, fez um resgate histórico no qual informou que essa identidade inspirou a criação da Loja Maçônica em 31 de julho de 1869.

Antes dessa data, os fundadores da Perseverança III integravam outra Loja Maçônica, a Constância. Estavam determinados a trabalhar pelos princípios de liberdade, igualdade e fraternidade, associados à educação como prioridade de ação, mas encontraram resistência num ambiente, na loja Constância, em que havia integrantes que eram donos de escravos.

Desse modo, conta Farto Neto, os que pregavam as ideias libertárias e humanistas — entre eles, Ubaldino do Amaral — se revoltaram contra os integrantes da Constância que eram donos de escravos e então decidiram abrir outra Loja Maçônica. Foi assim que nasceu a Perseverança III. E uma das primeiras ações da nova loja foi criar uma escola noturna com abertura de vagas também para escravos existentes naquela época da história do Brasil. “Esse marco histórico nos inspira até hoje, nós valorizamos muito a educação”, frisou Farto Neto. ,,

Diversidade

Giovanna Letícia Bernardo

“Um dia eu conheci
uma menina chamada Ágata
Tinha os cabelos ruivos
e no rosto tinha sardas.

Um dia eu conheci
uma menina chamada Brena
Tinha os cabelos crespos
e a pele morena

Um dia eu conheci
um menino chamado Carlos.
Tinha os cabelos negros
e também “olhos puxados”

Um dia eu conheci
um menino chamado Luís.
Tinha os cabelos louros
e os olhos azuis.

Todos vinham de diferentes
etnias e talentos
e passaram na vida
por diferentes momentos.

Mas em uma coisa
todos são iguais
são humanos, são pessoas
e todos merecem viver
sem preconceito e com direitos iguais
e merecem a mesma paz”

Comentários