Sorocaba e Região

Policia Civil prende envolvidos no golpe do falso leilão em Sorocaba

Mandados de busca e prisão temporária foram cumpridos também em São Paulo, Santo André e Campinas
Investigações duraram mais de nove meses. Crédito da foto: Divulgação / Polícia Civil (17/03/20)

*Atualizada às 13h40

A Policia Civil de Sorocaba realizou nesta terça-feira (17) mais uma etapa da “Operação Arremate”, que apurou a atuação de uma organização criminosa que praticava o golpe conhecido como “falso leilão”. A Justiça decretou a prisão de sete pessoas envolvidas. Até o momento quatro pessoas foram detidas e material de informática foi apreendido.

De acordo com o delegado Acácio Aparecido Leite, titular do 8° Distrito Policial e responsável pelo caso, dos quatro suspeitos detidos na manhã desta terça-feira (17), dois foram abordados na zona norte de Sorocaba. Os outros dois foram encontrados na zona leste e sul da cidade de São Paulo.

Mandados de busca e prisão temporária também foram cumpridos em Santo André e Campinas.

Mais de 40 policiais civis estão envolvidos na operação. Nos municípios de São Paulo e Santo André, a Polícia Civil de Sorocaba contou com o apoio de policiais civis do Garra/Dope e peritos do Instituto de Criminalística. Em Campinas o apoio foi de policiais civis da cidade.

O golpe

O delegado ainda informou que o golpe era aplicado da seguinte maneira: os suspeitos criavam um site de uma falsa empresa de leilão virtual. Nesta plataforma, as vítimas entravam e seguiam a rotina do leilão, “como se fosse um site regular”, explica.

As pessoas faziam o pagamento e o objeto leiloado que, em geral, eram carros de alto padrão e caminhões, era arrematado. A vítima recebia a documentação do arremate e ficava aguardando a chegada, mas o veículo não era entregue.

Porém, quando a vítima tentava entrar em contato com o site, ele tinha sido retirado do ar. Acácio informou que, segundo a investigação, foi possível identificar três sites.

Segundo o delegado, os suspeitos detidos em Sorocaba eram responsáveis pelas duas contas em que o dinheiro do leilão virtual era depositado. Além disso, os golpes eram aplicados há mais de um ano.

Ainda nesta terça-feira (17), materiais de informática foram apreendidos e, de acordo com Acácio, há a possibilidade desses materiais terem sido utilizados para a realização dos golpes online.

Comentários