Brasil Sorocaba e Região

Polícia Civil apreende mais de R$ 700 milhões do crime organizado

O valor, entretanto, deve ser superior a R$ 1 bilhão, uma vez que imóveis e outros bens ainda não foram computados
Polícia Civil apreende mais de R$ 700 milhões do crime organizado
Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (12/9/2019)

Mais de R$ 700 milhões em ativos financeiros foram apreendidos pela Polícia Civil do Estado de São Paulo durante o ano de 2020, em operações contra o crime organizado. O valor, entretanto, deve ser superior a R$ 1 bilhão, uma vez que imóveis e outros bens ainda não foram computados.

O levantamento, inédito na instituição, envolveu todos os departamentos de Polícia do Interior, da Região Metropolitana de São Paulo e da Capital. Na relação de bens estão listados 21 aviões e helicópteros, além de barcos, iates, entre outros veículos, e centenas de imóveis.

Do total de R$ 700 milhões, somente o DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania), apreendeu R$ 647 milhões, a maior parte por meio da Divisão de Investigações Sobre Crimes Contra a Fazenda (DISCCFAZ), em investigações de apuração de crimes como sonegação de impostos.

Leia mais  Pazuello repete promessa de vacinação

O DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) alcançou R$ 15 milhões em apreensões de imóveis, embarcações, aeronave e veículos.

Outro Departamento com destaque é o Deinter-8, em Presidente Prudente, que totaliza R$ 8,3 milhões em recuperação de ativos. Em uma das operações do Deinter-8, a Anterus, deflagrada em dezembro, foi desarticulada uma organização criminosa responsável por aplicar golpes de namoro virtual que provocaram R$ 24 milhões em prejuízos às vítimas. Mais de mil contas bancárias, com saldos vultosos, estão bloqueadas pela Justiça.

Os resultados refletem a nova política estratégica adotada pela Polícia Civil no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, com capacitação de policiais nas novas metodologias de investigação e na utilização dos recursos de inteligência e científicos, como o Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD), do Dipol (Departamento de Inteligência da Polícia Civil). (Da Redação, com informações da SSP)

Comentários