Covid-19 Sorocaba e Região

Pandemia chegou ao platô em Sorocaba, diz prefeita

Município já teria atingido números suficientes para pleitear avanço à fase amarela do Plano SP
Pandemia chegou ao platô, diz prefeita
Prefeita Jaqueline Coutinho (PSL) concedeu entrevista, via live, ao Facebook do jornal Cruzeiro do Sul. Crédito da foto: Reprodução

 

A Prefeitura de Sorocaba informou que a cidade chegou ao “platô” da pandemia do novo coronavírus e vai pleitear junto ao governo do Estado o avanço para a fase 3 (amarela) do Plano São Paulo de retomada das atividades econômicas. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (29), pela prefeita Jaqueline Coutinho (PSL), em entrevista exclusiva ao jornal Cruzeiro do Sul.

De acordo com a chefe do Poder Executivo, o município já teria atingido números positivos em relação a ocupação de leitos, casos confirmados e número de óbitos pela doença, alguns dos critérios utilizados pelo Estado na classificação dos município dentro do plano São Paulo. Atualmente, Sorocaba está na fase 2 (laranja), que permite a abertura de comércios não essenciais como comércios de rua, shoppings e galerias. “Nós esperamos que a partir da recalibragem feita pela governo, a partir de sexta-feira (31), o Estado de São Paulo veja que nós estamos em um momento de progredir. Já estamos no platô, que a Capital e Baixada Santista tiveram três semanas atrás”, declarou.

Entrevista com a prefeita Jaqueline Coutinho

Chefe do poder executivo discute os índices de isolamento social e sobre o déficit na arrecadação municipal

Publicado por Jornal Cruzeiro do Sul em Quarta-feira, 29 de julho de 2020

Na fase laranja do Plano São Paulo, as atividades econômicas estão liberadas para funcionar por até quatro horas. Com o possível avanço, o comércio passaria a atender por até seis horas diárias.

Durante a entrevista, a prefeita explicou que o município depende da flexibilização para conseguir amenizar os impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Conforme divulgado, a cidade já amarga um déficit de R$ 101 milhões nos seis primeiros meses do ano. “Não é possível mais a economia ficar suspensa”, avaliou a chefe do Executivo.

Serviços públicos

Jaqueline Coutinho relembrou que o cenário de impactos na arrecadação municipal atinge diretamente a prestação de serviços básicos como saúde, educação e segurança pública, entre outros. Por isso, a municipalidade limitou o teto dos gastos em R$ 100 milhões. Conforme adiantou à reportagem, a Secretaria da Fazenda havia informado que todas as 21 pastas municipais deveriam, de maneira voluntária, elencar gastos a serem reduzidos. “Nós estamos há dois meses junto à Controladoria Geral tentando fiscalizar nossas finanças, para gerar uma redução nos nossos contratos”, enfatizou.

O governo do Estado de São Paulo deve divulgar na sexta-feira, dia 31, novas informações sobre a classificação do Plano São Paulo para o Departamento Regional de Saúde (DRS-16), do qual Sorocaba faz parte. (Wesley Gonsalves)

Comentários