Casa de Papel Sorocaba e Região

Operação Casa de Papel alterou rotina no Paço

Secretaria da Cultura, situada fora da Prefeitura, no Centro, também recebeu visita da Polícia Civil e do MP
Operação altera rotina no Paço
Policiais vão à Prefeitura logo cedo para buscar documentos. Crédito da foto: Emidio Marques

A rotina na Prefeitura de Sorocaba foi alterada durante a operação Casa de Papel. Três secretarias instaladas no Paço Municipal foram tomadas por policiais civis, integrantes do Ministério Público e membros do Tribunal de Contas durante a manhã da segunda-feira (8). Funcionários foram impedidos de entrar em seus respectivos locais de trabalho enquanto era feito o trabalho de garimpagem de documentos e equipamentos. Para evitar o sumiço de dados, o servidor de rede de internet foi desligado e os sites administrados pelo governo municipal permaneceram fora do ar.

Leia mais  Operação Casa de Papel: “Sou a maior vítima de tudo isso”, diz Crespo

 

A ação comandada pela Polícia Civil teve início por volta das 6h no Paço Municipal. Viaturas com o giroflex acionado eram vistas nas duas entradas da Prefeitura.

No Paço, os alvos foram as secretarias de Comunicação e Eventos, da Fazenda e de Licitações e Contratos. Enquanto policiais verificavam documentos e equipamentos, outros permaneciam nas portas das respectivas pastas para evitar a entrada de funcionários.

Essa alteração da rotina atingiu principalmente o primeiro andar do Paço, sede das três secretarias. O local estava tão vazio que uma funcionária terceirizada questionou se todos haviam ido embora.

Servidores que tentavam entrar em uma das três secretarias eram convidados a aguardar o trabalho das autoridades policiais no térreo. Essa espera durou até o fim da manhã, após a saída da última equipe integrante da operação Casa de Papel.

O trabalho dos policiais civis em cada secretaria foi acompanhado pelos titulares das respectivas pastas. A lista incluiu Eloy de Oliveira, de Comunicação e Eventos, Hudson Zuliani, de Licitações e Contratos e Marcelo Regalado, da Fazenda.

Cultura

A operação Casa de Papel não focou somente o Paço Municipal. A sede da Secretaria da Cultura de Sorocaba, situada fora do prédio da Prefeitura, na praça Mateus Maylasky, também recebeu durante a manhã a visita da Polícia Civil e do Ministério Público.

O titular da secretaria, Werinton Kermes, chegou à sede da pasta acompanhado pelos policiais e permaneceu no local durante a manhã. Em seguida, seguiu para a Delegacia Seccional.

Visivelmente abalado, Kermes afirmou ser a favor da investigação e que a sua pasta não efetiva contratos. Esse papel, segundo ele, é da Secretaria de Licitação e Contratos. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO