Sorocaba e Região

Operação ‘Caixa Forte’ prende grupo que furtava cofres em Sorocaba

Investigação aponta que grupo usava maçarico em ataques e agiam com base em informações privilegiadas
Investigação aponta que grupo usava maçarico em ataques e agiam com base em informações privilegiadas. Crédito da Foto: Divulgação / Polícia Civil

Uma operação prendeu uma quadrilha especializada em furtos a cofres na manhã desta quarta-feira (3) em Sorocaba. As investigações apontam que o grupo é responsável por pelo menos seis ataques a bancos e grandes estabelecimentos comerciais na cidade nos últimos sete meses.

Ao todo, 35 policiais civis participaram da operação deflagrada durante o período da manhã com o nome de “Caixa Forte”. Foram 16 mandados de busca e apreensão em Sorocaba e um em Votorantim, além de oito ordens judiciais para prisões.

As investigações, comandadas pelo 3º Distrito Policial (DP), começaram no ano passado após uma tentativa de furto ao cofre central de um banco na rua XV de Novembro, no Centro de Sorocaba. O grupo invadiu a agência durante a noite do dia 26 de julho, mas não conseguiu levar o dinheiro.

Leia mais  Campanha da Fraternidade de 2021 será lançada nesta quarta-feira

“Era uma quadrilha muito organizada, que se valia de informações privilegiadas para planejar os crimes, agindo sempre em grupos, durante a noite e com apoio para fuga. O principal objetivo eram os cofres”, explica o titular do 3ºDP, José Humberto Urban Filho.

Delegado José Humberto Urban Filho. Crédito da Foto: Jomar Bellini (03/02/2021)

Outra característica do grupo identificada pela polícia e que ajudou a relacionar a quadrilha com os crimes foi o uso do maçarico para abrir os cofres. “Isso exige um certo grau de experiência com a ferramenta, que é mais sofisticada do que usar um explosivo, por exemplo”, compara Urban.

O grupo é composto por pelo menos nove integrantes, entre eles um adolescente de 17 anos. Todos já foram identificados. Durante a operação, quatro adultos foram detidos durante o período da manhã. Eles vão responder por associação criminosa e furto qualificado. Os suspeitos já possuem passagens pela polícia em crimes como furto, roubo e tráfico de drogas.

A quantia estimada de dinheiro levado nos furtos não foi divulgada, mas parte do montante foi recuperado durante a operação. As investigações seguem para prender o restante da quadrilha e identificar outros possíveis crimes cometidos pelo grupo na região. (Jomar Bellini)

Comentários
Assuntos