Sorocaba e Região

Obra da Praça da Juventude está praticamente parada em Sorocaba

Placa no local diz que prazo para a conclusão é 23 de junho deste ano
Mato já começa a cobrir materiais deixados no chão para uso na construção dos equipamentos da praça de esportes e lazer. Crédito da foto: Emídio Marques (23/1/2020)

As obras de construção da Praça da Juventude, no bairro Central Parque, em Sorocaba, estão praticamente paradas. Na tarde desta quinta-feira (23), a reportagem do Cruzeiro do Sul esteve no local e não encontrou no local funcionários da empresa contratada para a execução da obra.

O portão de entrada estava fechado, com uma corrente e um cadeado, e não havia qualquer movimentação no local. Os moradores vizinhos da obra afirmam que na semana passada ainda viram algumas pessoas trabalhando, mas que o ritmo está bastante lento.

Com verba do governo federal no valor de R$ 2 milhões, a Prefeitura de Sorocaba assinou contrato com uma empresa para a realização das obras no prazo de 12 meses, ou seja, um ano.

No local uma placa do governo federal, em nome do Ministério da Cidadania, informa que o início da obra ocorreu em 26 de junho do ano passado e que o prazo para a conclusão da Praça da Juventude é 23 de junho de 2020. Mas com as obras praticamente paradas e em estágio inicial tudo indica que o prazo não será cumprido.

A Praça da Juventude está localizada entre as ruas Mário Soave e Érico Veríssimo, em uma área de mais de 10 mil metros quadrados. Segundo o projeto apresentado pela Prefeitura de Sorocaba, a praça deverá contar com uma estrutura esportiva de alto nível, tanto para atividades competitivas quanto recreativas.

O local, quando ficar pronto, também deverá receber quadra coberta, quadra de areia, campo de futebol society, pista de skate e equipamentos, tornando-se um dos principais pontos de lazer da cidade.

No dia de início das obras, o então prefeito José Crespo (DEM) fez uma cerimônia no local comemorando o fato. Depois, em 12 de agosto do ano passado, o secretário de Esportes e Lazer, Simei Lamarca, esteve no local visitando o andamento das obras, cujo contrato com a empresa responsável pela obra faz parte de sua pasta.

Na ocasião, a empresa responsável pela construção fez o trabalho de limpeza e terraplanagem do local, e o secretário de Esportes disse que em breve a praça seria utilizada por todos os moradores da cidade. Mas, na prática, as obras pouco avançaram desde então. (Ana Cláudia Martins)

Na área do Central Parque a casa para funcionários estava vazia nesta quinta-feira (23). Crédito da foto: Emídio Marques (23/1/2020)

 

Associação do bairro cobra a execução

O presidente da Associação de Moradores do Piazza di Roma, Manoel Borges, afirmou que tem cobrado a Prefeitura de Sorocaba sobre o andamento das obras da Praça da Juventude no bairro Central Parque, mas não tem nem sido recebido no Paço para tratar da questão.

Manoel conta que a praça é uma reivindicação antiga dos moradores da região e que a Associação atuou em conjunto com o município na elaboração do projeto para que a cidade não perdesse a verba disponibilizada pelo governo federal.

“No ritmo que as obras estão, ou seja, praticamente paradas, o prazo para a conclusão da praça não será cumprido. A verba tem, mas as obras não andam. Estamos fazendo a nossa parte, que é cobrar o poder público e queremos uma resposta”, diz.

Desde 2013

Parte de um projeto lançado pelo Ministério dos Esportes em 2007, os recursos para a construção da Praça da Juventude em Sorocaba existem desde 2013, obtidos em ação da então deputada federal à época, Iara Bernardi (PT).

Embora houvesse o recurso de cerca de R$ 2 milhões, o projeto foi apresentado à Prefeitura de Sorocaba, mas não teve o andamento adequado por parte das administrações anteriores e o dinheiro acabou sendo devolvido aos cofres da União.

Em 2018, após cinco anos de espera, o projeto para a construção da praça saiu do papel por meio da Secretaria de Esportes e Lazer.

O secretário Simei Lamarca assinou em setembro de 2018 uma solicitação para a contratação de uma empresa que, posteriormente, deu o início das obras de construção da Praça da Juventude.

Prefeitura diz que Ministério atrasa repasses para andamento da obra

A Prefeitura de Sorocaba informou na tarde desta sexta-feira (24) que até o momento em torno de 35% do total programado da obra da Praça da Juventude, no bairro Central Parque, na zona oeste de Sorocaba, foi concluído.

Conforme a Secretaria de Serviços Públicos e Obras (Serpo) a obra foi iniciada conforme cronograma e paralisada entre setembro e outubro aguardando licença ambiental da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema), para remoção de árvores conforme normas ambientais.

Ainda de acordo com a Serpo, o valor da obra contratada é de R$1.923.135,78, a área do terreno é de 9.865,56 m2 e a área de construção é de 923,28 m2. “A ordem de início da obra foi dada em 24 de julho do ano passado e a conclusão da obra está previsto para 31 de julho de 2020”, diz a pasta.

Segundo projeto, a Praça da Juventude contempla pista de skate, campo de futebol em grama natural, quadra de areia e quadra poliesportiva coberta, iluminação pública e acabamento em grama e passeios acessíveis entre equipamentos implantados.

A Prefeitura esclarece também que as condições climáticas atuais também têm determinado um ritmo mais lento para a obra. “ A Prefeitura de Sorocaba contesta que o dinheiro que estaria disponibilizado para o município teria sido devolvido à União.

De acordo com a Secretaria da Fazenda da Prefeitura de Sorocaba, o governo municipal não recebeu os valores totais dos recursos federais para a execução das obras. “Conforme a Sefaz, no final de dezembro de 2016, Sorocaba recebeu uma pequena parcela no importe de R$ 60.860,00, visando ao pagamento dos projetos executivos. Houve o pagamento desses projetos, restou na conta corrente do convênio o saldo residual de R$ 34.260,25, que será repassado à empresa vencedora do certame e atual executora do projeto”, diz.

Por conta disso, a Prefeitura de Sorocaba informa também que já se reuniu com a Caixa Econômica Federal (CEF) solicitando providências no sentido de que haja a regularização dos repasses e consequente retomada do ritmo das obras. “Embora a obra esteja orçada em quase R$ 2 milhões, isso não significa que todo esse recurso tenha sido disponibilizado de uma vez para a Prefeitura. Ele é feito pelo Ministério da Cidadania, conforme o andamento da obra e, neste caso, os repasses estão atrasados. A Serpo esclarece que esse valor não é suficiente para o andamento regular das obras. O executado do projeto atinge atualmente valores estimados de cerca de R$ 400 mil”, diz.

A obra é financiada pelo governo federal, por meio do Ministério da Cidadania, e tem a CEF como agente financeiro. A CEF, a partir das liberações de recursos do Ministério, efetua os repasses para que seja feito o pagamento relativo às medições geradas pela contratada. Antes, entretanto, tais medições são checadas e confirmadas pela Prefeitura, que as repassa à CEF e o agente financeiro ao Ministério. Contudo, esses valores não têm sido repassados pelo Ministério da Cidadania conforme o cronograma das obras já executadas”, diz a Prefeitura.
O Cruzeiro do Sul também questionou o Ministério da Cidadania, mas ainda não obteve resposta. (Ana Cláudia Martins)

Comentários