Buscar no Cruzeiro

Buscar

Sorocaba

Aumentam casos de furtos nos cemitérios

São 9 registros neste ano, número que já superou os do ano passado, sem contar a subnotificação

22 de Maio de 2022 às 00:01
Ana Claudia Martins ana.martins[email protected]
A preferência dos ladrões é por objetos metálicos presentes nos jazigos.
A preferência dos ladrões é por objetos metálicos presentes nos jazigos. (Crédito: DIVULGAÇÃO)

As histórias de furtos recorrentes de peças e objetos de metais se repetem nos cemitérios municipais de Sorocaba. As ocorrências são constantes sobretudo, no da Saudade, no Centro, e no da Consolação, na Vila Haro. Segundo relatos de visitantes ouvidos pela reportagem, são vários os casos de famílias que já tiveram objetos de metais furtados, mais de uma vez, de jazigos de parentes e de familiares e amigos. O Cruzeiro do Sul questionou a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/SP) a respeito, mas a pasta estadual informou que não possui dados a respeito.

A Prefeitura de Sorocaba diz que as ocorrências registradas pela Guarda Civil Municipal (GCM), nesses dois cemitérios, somaram nove furtos em 2022. Número que já superou o total de ocorrências registradas pela GCM em todo o ano passado: oito casos. Em 2020, a corporação teve o registro de somente uma ocorrência e, em 2019, os furtos somaram 10 ocorrências. Lembrando que existe a subnotificação, ou seja, os números podem ser ainda maiores, visto que nem sempre as pessoas registram boletim de ocorrência.

O jornal também já publicou várias matérias sobre o assunto mostrando os recorrentes casos de furtos de objetos metálicos dos túmulos, principalmente no Cemitério da Saudade, que é um dos principais da cidade. Questionada a respeito, a Prefeitura de Sorocaba informa que a GCM tem intensificado as rondas, fora e dentro dos cemitérios, durante o dia, à noite e de madrugada. Paralelamente, a administração municipal já deu início à criação do Centro de Operações Integradas (COI), sistema que unificará as informações coletadas por videomonitoramento, que serão compartilhadas com todas as forças de segurança pública do município. “Com esse projeto, serão utilizados equipamentos e sistemas analíticos, inteligentes e integrados, compostos de sensores perimetrais externos, sensores internos, softwares e câmeras em todos os prédios públicos de Sorocaba”, ressalta a gestão municipal.

Em alguns casos, levam até suportes onde estão as fotos dos falecidos. - DIVULGAÇÃO
Em alguns casos, levam até suportes onde estão as fotos dos falecidos. (crédito: DIVULGAÇÃO)

No domingo (8), Regina Maria, 70 anos, foi ao Cemitério da Saudade para visitar o túmulo de sua mãe e de outros parentes e teve uma surpresa desagradável. Percebeu que as molduras metálicas douradas, com as fotos de alguns familiares, foram furtadas. E não foi a primeira vez. Regina conta ainda que já desistiu de mandar refazer os suportes metálicos para colocar as fotos dos familiares. “Além do dinheiro gasto, o pior é a foto perdida que nunca mais irei recuperar. A foto do meu bisavô era a última que eu tinha, então, fiquei muito triste. A foto tem um enorme valor sentimental para a família e nunca mais será recuperada. Isso deixa a gente muito triste”, afirma.

Ela disse ainda que paga uma pessoa para tomar conta e fazer a limpeza do túmulo dos familiares, mas que nem isso contribui para evitar os furtos. “São muitos casos, a gente não pode colocar nenhum tipo de objeto metálico com foto ou objeto de metal que é furtado. É preciso encontrar um jeito de parar com isso”, reclama.

Na quarta-feira (18) pela manhã, a equipe de reportagem do Cruzeiro do Sul percorreu três dos quatro cemitérios municipais da cidade. No Consolação, os visitantes também reclamam de furtos constantes de objetos metálicos dos jazigos de seus familiares. Além disso, eles reclamam da presença de usuários de drogas, em plena luz do dia, no local, e da falta de melhorias e do estado geral do cemitério.

O aposentado João Egídio, 75 anos, estava com familiares no Consolação visitando o túmulo de parentes e contou que também ocorreram furtos de peças metálicas, que estavam com fotos. “Aqui também ocorrem os furtos direto. Infelizmente, a gente coloca um suporte com a foto de um parente e quando volta para visitar não está mais lá, foi levado. É triste porque a gente gasta dinheiro e em alguns casos ainda perde a foto também. Não tem segurança”, reclama.

Já no cemitério municipal Santo Antônio, que fica no bairro Wanel Ville, como as sepulturas são diretamente no chão e não há túmulos ou jazigos, os casos de furtos de objetos metálicos são praticamente inexistentes. Pelo menos, até este momento, a reportagem não recebeu reclamações a respeito. O local, geralmente, sofre com o mato alto, mas como atualmente quase não chove, por conta da estiagem, não há ocorrência do problema. Já nos cemitérios da Saudade e da Consolação o mato também não está alto, sendo que neste último, a reportagem constatou somente mato invadindo alguns túmulos. Porém, é visível que o local necessita de melhorias para ser mais agradável aos visitantes.

Boletim de ocorrência deve ser registrado

A Polícia Civil orienta que as pessoas registrem boletim de ocorrência sobre os furtos nos cemitérios municipais. A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/SP), reforça a importância do registro de boletim de ocorrência dos casos. “A notificação é essencial para orientar o policiamento nas ruas e possibilitar investigações para a detenção dos autores. Além das unidades territoriais, o registro pode ser feito pela Delegacia Eletrônica: (www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br)”.

Já a Prefeitura de Sorocaba, que é responsável pela gestão dos cemitérios municipais, informa que os registros realizados pela Seção de Administração de Cemitérios são comunicados à Policia Civil para investigação. “Denúncias podem ser feitas pelo telefone 153, da GCM. Sorocaba conta, ainda, com a Operação Delegada, um convênio com o Governo do Estado de São Paulo, que permite a atuação de policiais militares e bombeiros, nos horários livres de escala de trabalho, como agentes do serviço público municipal, sendo devidamente remunerados para isso pelo Poder Público local. Os profissionais da Atividade Delegada podem, inclusive, atuar também em ações de proteção ao patrimônio público, incluindo os cemitérios, escolas, unidades de saúde, espaços culturais, entre outros”, destaca.

A gestão municipal informa ainda que a Secretaria de Serviços Públicos e Obras (Serpo) realiza os serviços de manutenção dos cemitérios públicos diariamente, por meio de equipes fixas nos locais. “Inclusive, os cemitérios da Consolação e Saudade, mencionados pela reportagem, receberam, conforme cronograma, nova manutenção na quinta-feira (19), incluindo roçagem, retirada de entulho, limpeza, reparos em geral, entre outros. “Quanto à manutenção e conservação das sepulturas particulares, estas precisam ser realizadas pelos titulares ou herdeiros, aos quais a Serpo faz frequentemente chamamentos”, informa. (Ana Claudia Martins)

Galeria

Confira a galeria de fotos