Sorocaba e Região

Na chuva, pacientes enfrentam longas filas para agendar consulta médica

Em duas UBSs da zona norte, o agendamento é feito somente na última 5ª feira do mês; e usuários contestam
Na chuva, pacientes enfrentam longas filas para agendar consulta médica
Na UBS do Parque das Laranjeiras, muitas pessoas aguardavam do lado de fora. Crédito da foto: Cortesia / Francisca Inês da Silva Santos

Debaixo de chuva, muitos sorocabanos formaram nesta quinta-feira (25) longas filas no entorno da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Parque Laranjeiras e também da UBS Ulisses Guimarães, no bairro Vitória-Régia, para tentar agendar consultas com especialistas. Segundo a Secretaria da Saúde (SES), o formato do agendamento varia de acordo com a unidade, por especificidades do território e especialidade.

No caso específico das duas unidades que apresentaram longas filas nesta quinta-feira (25), a marcação de consultas ocorre apenas na última quinta-feira de cada mês e, muitas vezes, o paciente deixa a UBS sem conseguir um agendamento.

A SES informou que esse método foi adotado “por conta do alto índice de absenteísmo, que gera aumento no tempo de espera para consultas, uma vez que as vagas são preenchidas, mas não aproveitadas”. São agendadas somente consultas para o mês seguinte, de acordo com a SES e, por isso, evita-se que o paciente esqueça a data marcada.

A SES informou que todas as UBSs dispõem de acolhimento com enfermeiro, “onde todos os casos são avaliados e priorizados conforme classificação de risco, podendo ser agendados com médico no mesmo dia”.

Insatisfação

A dona de casa Francisca Inês da Silva Santos, 57 anos, conta que há pelo menos três meses tenta conseguir uma consulta com ginecologista para realizar o exame de papanicolau. Na UBS do Laranjeiras, na manhã desta quinta-feira (25), ela relata que centenas de pessoas foram obrigadas a aguardar em uma fila do lado de fora da unidade, mesmo com chuva. “Depois de muita confusão, os funcionários distribuíram senhas, mas antes das 10h falaram que a agenda já tinha sido preenchida e muita gente foi embora sem atendimento”, reclama. Ela chegou ao local por volta das 7h e pegou a senha 89.

Leia mais  Médicos alertam sobre Covid-19 em pessoas com doenças respiratórias

Há mais de um ano, Francisca conseguiu uma consulta e afirma que, antes, na unidade do Laranjeiras, quatro médicos ginecologistas realizavam atendimento, mas o quadro foi reduzido pela metade, com apenas dois profissionais atualmente. “Na recepção, falam que só dá para marcar consulta para quem já fez o papanicolau. As funcionárias contaram que a Prefeitura manda poucas lâminas para a realização do exame e, por isso, não podem agendar mais consultas do que o número de material disponibilizado.” A dona de casa conta que há meses está sofrendo com infecções urinárias e nesta quinta-feira (25) saiu da UBS sem conseguir uma data para consulta.

Atendimento alternativo

A SES minimiza o problema e informa que “além da consulta com o médico ginecologista, a unidade oferece consultas em saúde da mulher com enfermeiro, com agendas para coleta de exame preventivo e outras queixas ginecológicas, ampliando a oferta de vagas nessa especialidade”. Em nota, a secretaria afirma que não reduziu o número de ginecologistas e que dois médicos atuam na unidade desde o início da gestão de José Crespo (DEM).

Leia mais  Assessor da presidência testa positivo para coronavírus

Em toda a rede de atenção básica, que compreende as 32 UBSs, há 43 ginecologistas contratados. A secretaria também foi questionada sobre quantas consultas ginecológicas são agendadas na UBS Laranjeiras mensalmente e informou que, em média, são disponibilizados 400 atendimentos por mês.

Sobre a realização de exames de papanicolau, a SES informou que são realizados 1.522 procedimentos em toda a cidade. Na UBS Laranjeiras, são 80 exames na média mensal.

A vendedora Maira Sanches Santos, 32 anos, conta que chegou à UBS Laranjeiras por volta das 7h30 também para tentar agendar consulta ginecológica e, para isso, pediu autorização no trabalho para chegar mais tarde. Todo o esforço foi em vão, pois as vagas foram preenchidas. “Acho que marcaram no máximo 40 consultas e é um desrespeito essa agenda abrir somente uma vez por mês e fazer com que a gente se sujeite a essas filas gigantes”, reclama.

Maira conta que antes morava na zona oeste e era atendida em outra UBS. Desde que mudou de residência, há um ano e meio, ainda não passou com ginecologista pela dificuldade de se programar para ir no dia exato até o posto.

Leia mais  Armas e munições são furtadas de empresa de segurança em Sorocaba

Em contato telefônico feito com uma funcionária da UBS Ulisses Guimarães, a informação era de que na manhã desta quinta-feira (25) foram distribuídas 215 senhas para agendamento de consulta. A SES informou que essa unidade é específica de Saúde da Família e as especialidades disponíveis no local são pediatria, com dois médicos, um ginecologista obstetra e três generalistas, porém, uma médica encontra-se em licença maternidade.

Comentários