fbpx
Sorocaba e Região

Movimentos sociais farão ato de apoio à Lava Jato no Campolim

O evento está marcado para domingo (7), a partir das 10h, na praça Carlos Alberto de Souza
No dia 17 de março, ocorreram manifestações simultâneas em 12 estados brasileiros. Crédito da foto: Divulgação / Arquivo

O Movimento Brasil Livre (MBL) e a Direita São Paulo promovem um manifesto neste domingo (7), no Parque Campolim, em Sorocaba, em apoio à operação Lava Jato e em desagravo à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que decidiu transferir para a Justiça Eleitoral processos que versam sobre corrupção associada a caixa dois. A ação, que envolve movimentos sociais, vai se concentrar, a partir das 10h, na praça Carlos Alberto de Souza.

O movimento vai acontecer em nível nacional. Organizadores da manifestação pretendem promover o despertar das pessoas para a cidadania, fazer com que o cidadão discuta política e entenda o que vem sendo proposto pelo atual governo para se buscar o desenvolvimento do Brasil.

Leia mais  Manifestação contra Bolsonaro acontece em Sorocaba

 

Outros assuntos serão abordados pelos organizadores que vão falar sobre a decisão do STF. Eles pretendem esclarecer diversos pontos das ações do governo Bolsonaro, inclusive sobre as viagens oficiais do presidente para outros países, a fim de estabelecer parcerias e compromissos.

Um carro de som estará na pista de caminhada à disposição dos integrantes do MBL e da Direita São Paulo. Ambas as instituições afirmam ser necessário que a população compreenda o que é importante para o País, independente de ideologias partidárias de direita ou esquerda.

No dia 17 de março, um domingo também, movimentos sociais, incluindo MBL, fizeram a primeira manifestação em pelo menos 12 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, com o mesmo teor. Naquele dia, a operação Lava Jato completava cinco anos de existência.

Leia mais  Bolsonaro defende Lava Jato da Educação: 'há algo de muito errado'

 

Além do ato na capital federal, foram registradas manifestações no Acre, Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. (Da redação)

Comentários