fbpx
Sorocaba e Região

Moradores reclamam de acesso a bairros em Araçoiaba da Serra

Duas mil pessoas moram na região, mas aos fins de semana com visitas a chácaras aumenta para seis mil

 

Água empoçada em estrada de terra dificulta a passagem de carros e pedestres. Foto: Erick Pinheiro

 

Moradores dos bairros Campo do Meio e Fazenda do Oeste, que ficam a cerca de 15 quilômetros do centro de Araçoiaba da Serra, enfrentam uma rotina de sacrifiício em função das más condições das estradas. A região tem uma população fixa de duas mil pessoas, que chega a até seis mil nos fins de semana, quando chegam os proprietários das chácaras.

Com a temporada de chuva a situação é ainda pior. A estrada Pedro Dias Moreira fica intransitável, evitando que os ônibus da linha Cercado e os escolares entrem nos bairros, obrigando os usuários a caminharem até cerca de dois quilômetros, dependendo do local da sua residência. Esse foi o caso do cabeleireiro José Maicon, que ontem precisou carregar o filho José Daniel, de 5 anos, para passar o trecho de água parada.

Vice-prefeito João Mimi mostra as más condições da via. Foto: Erick Pinheiro

O operador de máquinas Rogério Gomes deixou de trabalhar ontem para ajudar o pai a construir uma guia de concreto em frente à sua chácara, tendo em vista que por pouco sua casa não foi invadida pelas águas durante a chuva de quinta-feira passada. “Nasci aqui há 30 anos, e meu pai já está há 62, e é sempre essa mesma situação”, lamentou.

Leia mais  Mulher aciona botão do pânico e ex-marido é detido em Sorocaba

O aposentado Dilson Gomes Cavalcante, que em 2004 trocou Osasco pelo ar saudável de Araçoiaba da Serra, também reclama do problema de acesso aos bairros. Ele atua como líder dos moradores e luta pela pavimentação da estrada Pedro Dias Moreira e a manutenção da Alameda Araçoiaba da Serra. “Num caso de emergência, uma ambulância não adentra os bairros”, disse, reforçando ainda que “defendemos apenas nosso direito de ir e vir, só cobramos o que é de direito”. Até mesmo o carro da reportagem do Cruzeiro do Sul não conseguiu acessar a Alameda Votorantim devido à erosão existente no local.

 

Moradores constroem barreira para evitar ter casa invadida por água. Foto: Erick Pinheiro

De acordo com o vice-prefeito João Batista da Rocha, o João Mimi (PV), o Executivo já conta com verba destinada para a obra, mas segundo ele, apesar das manifestações dos moradores pedindo pelo serviço, o parecer do secretário de Obras, Tiago Blanes, seria de que algo só poderá ser feito a partir de abril.

 

Leia mais  Sorocaba tem alerta para chuva forte com vento nesta quarta (27)

Aprovação do projeto

Segundo o prefeito Dirlei Salas (PV), toda obra de pavimentação, incluindo o escoamento das águas pluviais, estaria orçada em cerca de R$ 1,5 milhão, havendo já quatro emendas, de R$ 250 mil cada, repassadas pelos deputados federais Sérgio Olímpio Gomes, o major Olímpio (PSL), Vitor Lippi (PSDB), Herculano Passos (PSD), e Jefferson Campos (PSD), ficando o restante dos recursos a cargo do município. Entretanto, apenas a duas semanas aproximadamente, a Caixa Econômica Federal deverá se pronunciar quanto à aprovação do projeto, para que então se inicie o processo licitatório. Na tentativa de acelerar o início da obra, Dirlei Salas disse ter enviado para a Câmara Municipal um projeto que visava o pagamento por parte dos moradores em troca de abatimento no IPTU, um o texto foi rejeitado.

Dirlei: projeto em aprovação. Foto: Erick Pinheiro

O prefeito também disse ser sua pretensão poder arrumar todas as estradas e ruas da cidade, que totalizam 1.600 quilômetros de extensão, mas que a Prefeitura estava até sem equipamentos. Segundo ele, no prazo de duas semanas uma motoniveladora deverá chegar na cidade.

Leia mais  Caminhão-cegonha fica preso em pontilhão da Dom Aguirre em Sorocaba

O chefe do Executivo destacou ainda que na estrada Alameda Araçoiaba da Serra as ações têm sido paliativas por conta da época de chuvas, o que deve melhorar em abril, quando então deve começar o serviço de manutenção. Outro projeto citado pelo prefeitura é a substituição da ponte de madeira que liga os bairros Fazenda do Oeste ao Camapuã, por uma de concreto.

Comentários