Sorocaba e Região

Moradores convivem com o medo em pontos de escuridão

Iluminação precária é motivo de reclamação devido aos riscos
Moradores convivem com o medo em pontos de escuridão
Parada de ônibus em Área de Transferência da Vila Helena estava sem iluminação. Prefeitura disse que faria o serviço. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Preocupações com a segurança são os principais motivos que levam moradores de dois locais situados em regiões diferentes de Sorocaba a reclamarem da iluminação precária ou total falta de luz elétrica. Um deles é a Área de Transferência do transporte coletivo localizada na avenida Ipanema, perto da Vila Helena, na zona norte. Outro ponto é a rua Colorado, no bairro Barcelona, onde há um condomínio residencial de 220 apartamentos.

A controladora de acesso Amália Banietti, de 38 anos, foi a primeira a reclamar da falta de iluminação na Área de Transferência da avenida Ipanema. “As luzes de dentro da área de transferência e do poste ficam apagadas”, ela descreveu. Pela sua rotina de passagem no local, disse que a falta de iluminação começou há mais de 15 dias. “Eu acho um descaso”, ela criticou.

Moradores convivem com o medo em pontos de escuridão
Roseli: é perigoso. Crédito da foto: Erick Pinheiro

A diarista Roseli Gonçalves, 42, chegou à Área de Transferência às 18h30 da última sexta-feira, acompanhada da estudante Maria Eduarda Vieira de Alcântara, de 17 anos, para esperar o ônibus da linha Lopes de Oliveira. “É até perigoso estar aqui no escuro”, disse Roseli. Ela recomendou a Maria Eduarda que não fique sozinha naquele local. E Maria Eduarda rebateu: “É perigoso, mas não tenho opção.”

Rua Colorado

Na rua Colorado, o vendedor Rodrigo Del Vigna, de 35 anos, disse que a falta de iluminação na via é um problema existente desde que o condomínio residencial começou a ser ocupado, em dezembro de 2015. Já furtaram a fiação de um trailer e de uma casa vizinhos do condomínio.

Moradores convivem com o medo em pontos de escuridão
Maria Eduarda: sem opção. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Para reduzir a gravidade do problema, o condomínio gastou R$ 1.300 na instalação de seis holofotes em pontos do muro do residencial. Mesmo assim, a iluminação continuou precária.

Maridos vão até a um ponto de ônibus próximo para buscar mulheres que trabalham e que chegam no começo da noite com medo de elas sofrerem algum tipo de agressão ou roubo. “É um absurdo”, disse a dona de casa Mariana Lemes, de 33 anos.

“Eu acho um pouco de negligência”, responsabilizou Del Vigna, referindo-se à Prefeitura. “O tempo está passando e a escuridão sempre está lá, causando medo e insegurança.” Ele disse que tem dificuldade de reclamar no telefone 156 da Prefeitura e os contatos com vereadores não tem resolvido o problema.

Prefeitura responde

Moradores convivem com o medo em pontos de escuridão
Mariana e Rodrigo reclamam da escuridão em região do Barcelona. Crédito da foto: Erick Pinheiro

A Secretaria de Conservação, Serviços e Obras (Serpo) informa que referente à Área de Transferência da avenida Ipanema, uma equipe esteve no local no período da manhã de segunda-feira para acionar o comando de restabelecimento da iluminação no local. Anteriormente, segundo a Prefeitura, o ponto foi vandalizado e recuperado.

Já na rua Colorado, a pasta informa que o PA (Pedido Administrativo) 35776/2015 encontra-se na Secretaria de Planejamento (Seplan) para tratativas com a empresa que executou o empreendimento (condomínio), com o objetivo de viabilizar a instalação de iluminação pública.

 

Comentários