fbpx
Sorocaba e Região

Modelo de horta do Carandá será levado para mais três bairros de Sorocaba

Novas hortas já tiveram áreas definidas e funcionamento está previsto para esse semestre
Residencial tem projeto piloto do programa “Nossa Horta”. Foto: Fábio Rogério

Geração de renda, alimentação balanceada e também uma forma de integrar a comunidade são alguns dos benefícios proporcionados pelas hortas comunitárias. No Residencial Carandá aproximadamente 60 famílias ajudam a cultivar verduras e legumes em um terreno que pertence à Prefeitura de Sorocaba. A horta serve como projeto piloto do programa “Nossa Horta”, que levará o modelo de hortas comunitárias para outros três bairros da cidade: Ipiranga, João Romão e Brigadeiro Tobias.

Segundo o secretário de Abastecimento, Agricultura e Nutrição (Seaban), Fernando Oliveira, já foram definidas as áreas que receberão as hortas, que devem começar a funcionar ainda no primeiro semestre de 2019. “Hoje toda solicitação de concessão de área para horta será autorizada com a condição de que o responsável aceite fazer parte do programa e assim beneficiar toda a comunidade”, disse. Segundo Oliveira, a intenção da pasta é ampliar o programa para vários bairros sorocabanos.

Além da Seaban, a Secretaria de Cidadania e Participação Popular (Secid) e a Secretaria de Igualdade e Assistência Social (Sias) também integram o programa Nossa Horta. As duas pastas terão a responsabilidade de encontrar voluntários para auxiliar no cultivo e também de fazer uma seleção das famílias em vulnerabilidade social que serão priorizadas no momento de receber os alimentos. Segundo Vagner Bueno, chefe de seção de agricultura e abastecimento da Seaban, a pasta já recebeu alguns interessados em se voluntariar. “Já temos 14 pessoas interessadas em ajudar e vamos começar a adquirir equipamentos para o cultivo.”

Para o “Nossa Horta”, a Seaban precisa especialmente de pessoas que tenham alguma experiência em agricultura, ou profissionais e estudantes de agronomia. Os produtos colhidos nas hortas, além de serem distribuídos às famílias em situação de vulnerabilidade social, também poderão ser consumidos pelos voluntários.

Integração

O agente social da Prefeitura de Sorocaba, Rivaldo Rodrigues Araújo, conta que há 29 anos trabalha promovendo atividades de integração entre a população. Desde a inauguração do Residencial Carandá ele atua no local e é responsável pelo projeto da horta. “Aqui já plantamos de tudo um pouco. Já deu jiló, tomate, alface, quiabo. Aí quem vem ajudar leva um pouco para a casa. As pessoas também se distraem, conhecem os vizinhos. É muito gostoso lidar com a terra”, conta.

Araújo conta que cerca de 60 famílias já participaram do cultivo da horta, mas é muito rotativo. “Tem o pessoal aposentado, que sempre está presente. Mas também têm aquele pessoal que fica desempregado um tempo e vem aqui para ter algo para fazer. Vem criança, vem idoso. É democrático.” Atualmente, conta o agente social, o terreno que comportava a horta receberá o prédio do novo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e os cultivos mudarão de lugar, ocupando um terreno nos fundos do residencial.

Segundo o titular da Seaban, a mudança resultará em ampliação da horta comunitária. Araújo conta que a construção do Creas deve ter início em fevereiro.

Comentários

CLASSICRUZEIRO