Sorocaba e Região

Mobilidade urbana é tema de lives no Face do jornal

Mobilidade urbana é tema de lives no Face do jornal
O especialista em Transportes, Renato Gianolla, foi entrevistado pela repórter Ana Cláudia Martins. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (17/11/2020)

A mobilidade urbana é tema de uma série de lives, que está sendo transmitida, ao vivo, pela página do Facebook do Jornal Cruzeiro do Sul, toda terça-feira, às 11h. Para debater a questão, o especialista em Transportes, Renato Gianolla, que foi presidente da Urbes – Trânsito e Transportes, em Sorocaba, fala dos principais temas ligados à mobilidade urbana, como a prioridade do transporte público, qualidade, mobilidade como um serviço, e custos e tarifas do transporte coletivo.

Os quatro temas relacionados acima já foram debatidos por Gianolla, por meio de questões feitas pela repórter do Cruzeiro do Sul, Ana Claudia Martins. Chamada de “Mobilidade em Foco”, uma live sobre cada tema específico é apresentada por semana pela rede social.

Na primeira, Gianolla destacou a importância do transporte público como eixo estruturador nas médias e grandes cidades. “O transporte que o grande público utiliza e está provado que é o modal que circula com mais pessoas, sendo ele o transporte de massa, ele tem que ser estruturador. Os outros modais ajudam no transporte, inclusive o transporte individual, fazendo parte do sistema, porém o estruturador, pensamos que tem que ser o transporte de massa, ou seja, o transporte público”, destaca.

Leia mais  Podcast Conexão Eleitoral: O que esperar da Habitação de Sorocaba em 2021?

Em relação à qualidade do serviço, Gianolla aponta que ela é um conceito subjetivo, ou seja, no transporte público é um conceito que cada um tem a partir de sua experiência. Para Gianolla, por conta disso, o poder público precisa fazer pesquisa para ouvir o usuário/cliente do transporte público e descobrir o que é qualidade do serviço para ele. “O desejo da população está sendo alterado e ela está vendo que tem outras concorrências e opções, seja a bicicleta, seja o próprio modo a pé, sejam os aplicativos. As próprias concorrências estão fazendo com que se perceba que precisa de uma qualidade no transporte público”, afirma.

Transporte público

Segundo Gianolla, o conceito de “mobilidade como serviço” é uma das apostas do setor em termos de modernidade e opções mais convenientes para o usuário/cliente, quando a questão é o futuro da mobilidade.

Leia mais  Prefeito eleito Rodrigo Manga anuncia equipe de transição de governo

“Resumidamente, seria como se todos os meios de transportes a pé, a bicicleta, depois os carros compartilhados, carros individuais, ônibus, enfim, todos os modais – quando são integrados em uma única plataforma digital, e que ela consiga dar para os usuários as melhores condições para chegar no seu destino. Sair da sua origem e chegar no seu destino nas melhores condições”, explica.

Gianolla destaca ainda que a mobilidade como serviço é integrar todos os modais de transporte dentro de uma plataforma com todas as informações. E o usuário pode ter a melhor decisão para chegar no seu destino em três fatores básicos: tempo, custo e conveniência”, diz.

Já em relação ao custo e as tarifas do transporte público, o especialista destacou a importância do subsídio do poder público como forma de oferecer aos usuários/clientes um valor acessível pelo transporte coletivo. As lives seguem até o dia 8 de dezembro, sempre às terças, a partir das 11h, pelo Facebook do jornal Cruzeiro do Sul. (Ana Cláudia Martins)

Comentários