Sorocaba e Região

Médico da Família volta a funcionar

Programa municipal de atendimento domiciliar a pacientes estava desativado desde 2014
Médico da Família volta a funcionar
A nova sede do Médico da Família fica na avenida Afonso Vergueiro, 1.238. Crédito da foto: Divulgação / Prefeitura de Sorocaba

O Programa Médico da Família, que funcionou em Sorocaba de 1999 até 2014 e ficou desativado durante todos esses anos, voltou a funcionar, anunciou na quinta-feira (12) a Secretaria Municipal de Saúde (SES). Atualmente a cidade contava somente com o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD), que passará a operar em conjunto com o programa Médico da Família. De acordo com a SES, o programa já chegou a atender cerca de 1.500 pacientes.

Com o retorno do programa, foi inaugurada também a nova sede do Médico da Família, que passa a funcionar na avenida Afonso Vergueiro, 1.238, esquina com a rua Miranda Azevedo e ao lado da Praça da Bandeira. Durante o evento realizado com a presença de médicos do programa, secretários municipais e da prefeita Jaqueline Coutinho, também foram entregues três carros novos que irão reforçar a assistência domiciliar.

Somente no SAD cerca de 700 pacientes são assistidos e o foco principal são as pessoas com pós-internação, pacientes que realizaram instalação de novos dispositivos (sondas e traqueostomia), AVC recente, pacientes oncológicos e em recuperação pós-cirúrgica. O acesso ao SAD e agora ao Médico da Família deve ser feito por meio do telefone 156 ou via Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Unidades Pré-Hospitalares (UPHs), Pronto-Atendimentos (PAs) e hospitais.

Leia mais  Sorocaba tem um caso confirmado e 124 suspeitos de coronavírus

Durante o evento de inauguração, o secretário municipal da Saúde e um dos pioneiros na implantação do programa, Ademir Watanabe, contou que ao implantar o serviço no ano de 1999, Sorocaba se tornou uma referência e uma das maiores em assistência para acamados do Brasil. “Pacientes que não conseguiam ter acesso ao atendimento nas UBSs começaram a ser assistidos com o foco na recuperação de cada um. Na minha época, o programa me marcou muito pela assistência oferecida de forma humanizada às famílias de pacientes paliativos”, conta. Em 2014, o Médico da Família acabou em Sorocaba e a cidade passou a contar apenas com o SAD, que faz parte do programa federal Melhor em Casa.

Visitas programadas

De acordo com Elizangela Leôncio, coordenadora do Médico da Família, conforme a necessidade de cada paciente é organizado o cronograma de visitas. “Eu estou desde 2010 no atendimento domiciliar e é um serviço em que os profissionais dedicam-se integralmente ao cuidado de cada assistido”, disse. A equipe é composta por 10 médicos, 5 enfermeiros, 15 técnicos de enfermagem, 3 assistentes sociais, 1 dentista, 5 fisioterapeutas, 1 psicólogo, 1 terapeuta ocupacional, além dos profissionais administrativos, de limpeza e transporte.

Leia mais  Cuidadoras de idosos relatam dificuldade com o transporte coletivo de Sorocaba

Conforme Watanabe, com o Médico da Família a cidade retomará o atendimento dos casos menos complexos de pacientes que possuem dificuldade de acessibilidade até uma UBS. “São pacientes que também precisam da atenção, mas que não se enquadravam nos requisitos do SAD e, por isso, nós trabalhamos para retomar o programa”, disse. Essa ampliação na assistência ocorrerá, segundo a SES, de forma gradativa, seguindo os protocolos e requisitos de atendimento.

A médica Maria Alice Regina de Souza é membro da equipe desde a sua fundação e durante a solenidade destacou a importância da retomada. “A desospitalização é uma realidade do Sistema Único de Saúde e fortalecer o atendimento domiciliar é fundamental, ainda mais levando em conta o envelhecimento da população”, frisou.

Iara Tozzato, que é mãe de um paciente atendido pela equipe da SAD, participou do evento e aproveitou o momento para agradecer pela assistência prestada pelos profissionais a ela e seu filho de 29 anos, que possui paralisia cerebral. “Desde o apoio médico até o psicólogo, essa equipe tem nos ajudado muito nesses anos. Só tenho que agradecer por tudo”, destacou. Segundo ela, a visita médica ocorre a cada três meses ou então quando ela necessita com mais urgência. As equipes realizam visitas das 7h às 22h. (Larissa Pessoa)

Comentários