Sorocaba e Região

Mais Médicos tem 31 profissionais na cidade nas Unidades Básicas de Saúde

Sorocaba ainda conta com oito vagas por meio do programa sem previsão de preenchimento
Mais Médicos tem 31 profissionais na cidade
Profissionais do programa Mais Médicos atuam na rede de Atenção Básica da Saúde. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (3/12/2018)

Sorocaba tem 39 vagas pelo Programa Mais Médicos, mas destas, 31 estão preenchidas. Segundo a Secretaria de Saúde (SES), em dezembro as 20 vagas que abriram pelo programa em substituição aos profissionais cubanos na cidade foram ocupadas, porém cinco médicos solicitaram desligamento nos últimos seis meses e outras três vagas já estavam abertas e não foram repostas. A SES informou que solicitou a reposição dos oitos postos ao Ministério da Saúde, mas não teve retorno do Governo Federal.

Para não causar prejuízos à população, a secretaria municipal disse que através do Projeto de Gestão Compartilhada, deslocou médicos da rede de urgência e emergência para a Atenção Básica. O Ministério da Saúde abriu inscrições para o programa com vagas em vários municípios do País, mas nenhuma cidade da região de Sorocaba está entre as beneficiadas.

Segundo o Ministério, serão mantidas as renovação dos profissionais no programa “apenas em cidades mais vulneráveis, em geral pequenas, além dos distritos sanitários indígenas”. Neste momento, segundo a pasta federal, está em andamento o edital que prioriza o atendimento para esses municípios com os mais altos índices de vulnerabilidade social. Estão previstas, de forma preliminar, 2.212 vagas em 1.185 municípios e 13 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs). No Estado de São Paulo serão 60 vagas em 32 cidades. Segundo o edital, o município de Franco da Rocha é o que receberá mais profissionais, com dez vagas abertas.

Leia mais  Região de Sorocaba avança para a fase amarela do Plano São Paulo

Adaptação

Em dezembro o carioca Rafael Augusto de Oliveira Domingues, 28, assumiu na UBS Vila Barão uma das vagas disponibilizadas pelo programa. Assim que começou a atender na unidade, contou que havia deixado para trás a rotina em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Teresópolis. “A adaptação aqui nestes seis meses foi muito boa e agora estou começando a atender os retornos das consultas que fiz assim que cheguei”, conta. Junto com Rafael, outro médico também havia sido designado para a unidade, mas em março solicitou rompimento do contrato por ter iniciado residência. “Temos um contrato de três anos, então é algo que sabemos que terá fim e o programa não está repondo os profissionais que se desligam e com isso ocorre uma sobrecarga de trabalho”, afirma.

Embora classifique a rotina como bastante corrida, Rafael afirma que tem recebido um bom feedback dos pacientes, que em sua maioria são mulheres e idosos. “Faço aproximadamente 32 atendimentos por dia e aproximadamente 80% conseguimos tratar aqui na unidade”, destaca. A coordenadora da unidade, Tatiane Albanezi explica que o médico que era do programa foi substituído por um profissional concursado da própria Prefeitura de Sorocaba. “O quadro de horas médicas está completo, mas é claro que sempre haverá uma reclamação comum dos pacientes por conta do vínculo que é rompido”, afirma.

Leia mais  Prefeitura de Tapiraí promove live de aniversário nesta sexta (19)

Condições

A dinâmica de trabalho dos médicos do programa Mais Médicos é diferenciada. São 40 horas semanais, sendo que 32 são de atendimento e oito destinadas para estudo. Os profissionais recebem bolsa-formação (atualmente no valor de R$ 11,8 mil) e uma ajuda de custo inicial entre R$ 10 e R$ 30 mil para deslocamento para o município de atuação. A moradia e a alimentação são custeadas pelas prefeituras.

Eles estão em 12 Unidades Básicas

Mais Médicos tem 31 profissionais na cidade
UBS Rodrigo é uma das unidades atendidas pelo programa Mais Médicos. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (15/4/2019)

Em Sorocaba, de acordo com a Secretaria da Saúde (SES), após a substituição de profissionais que ocorreu em dezembro do ano passado, restou apenas uma médica de outra nacionalidade. Ela é chilena e atende na UBS Habiteto. Das 32 UBS da cidade, 12 contam com profissionais do Mais Médicos. São elas: Rodrigo, Vitória Régia, Ulisses, Wanel Ville, Nova Esperança, Habiteto, Brigadeiro Tobias, Aparecidinha, Cajuru, São Bento, Paineiras e Barão. A SES destaca que o principal ponto positivo do programa federal é o vínculo com a comunidade, pois são médicos generalistas que atendem oito horas por dia todos os tipos de doenças de todas as especialidades de pessoas de qualquer idade. (Larissa Pessoa)

Comentários