Sorocaba e Região

Loja de carros fecha em Sorocaba e clientes alegam que foram vítimas de fraude

Aproximadamente 15 boletins de ocorrência contra os proprietários da loja já foram registrados no 3º DP
Todos os carros que estavam na loja foram retirados do local. Crédito da foto: Emídio Marques (26/09/2019)

Atualizada às 14h47

Uma loja de carros seminovos localizada na avenida Afonso Vergueiro, no centro de Sorocaba, fechou as portas em 20 de setembro. A medida surpreendeu clientes que tinham negócios pendentes com os proprietários do comércio.

Na manhã de quinta-feira (26), todos os carros que estavam na loja foram retirados do local. Já o site da loja está fora do ar.

Os proprietários ou seus advogados não foram localizados. Aproximadamente 15 pessoas já registraram boletim de ocorrência por fraude e estelionato. Os casos estão concentrados no 3º Distrito Policial, no bairro Parque Campolim.

Automóveis já financiados

O problema, segundo os clientes lesados, ocorre porque a loja, chamada Campovel Veículos, comprou e vendeu automóveis já financiados. Durante o processo, não fez as devidas transferências e quitações.

As vítimas compraram carros à vista e depois descobriram que há financiamentos vigentes. Outras pessoas venderam seus carros para a loja e ainda estão com os carros em seu nome.

Várias vítimas do suposto golpe estão tentando negociar com os proprietários da loja. Também estão realizando buscas dos carros vendidos, mas que continuam em seus nomes.

Mobilização das vítimas

Renato Geraldini, 37 anos, é uma das vítimas que está mobilizando outros compradores que tiveram prejuízos por conta da loja. “Pelas conversas com o pessoal, eles devem ter lesado umas 300 pessoas entre quem vendeu e quem compro”, estima. Ele reside em Porto Feliz e comprou um carro em agosto, após a cunhada e a sogra já terem feito negócios bem-sucedidos na loja.

Ele relata que viu o anúncio do carro na internet e passou a negociar com um vendedor da loja através do Whatsapp. Representantes da Campovel foram até Porto Feliz para avaliar o veículo que Geraldini daria de entrada. O valor oferecido pela loja foi de R$ 7 mil. “Eles levaram o meu carro e logo depois já venderam para outra pessoa. Eu assinei o recebido de compra e venda e ficou tudo certo. Já o novo carro que comprei segue sem documento e além da entrada, o restante eu financiei em 48 vezes. Já até paguei a primeira parcela”, relatou.

Medida cautelar

Geraldini, além de registrar o boletim de ocorrência, também já acionou um advogado. Segundo ele, o carro que ele comprou da Campovel está no nome de uma loja de Valinhos. “Em contato com essa loja a gente descobriu que a Campovel deu um cheque sem fundo para fazer o pagamento e eles já falaram que não vão fazer a transferência enquanto não receberem.” O morador de Porto Feliz contou que seu advogado já solicitou uma medida cautelar de posse do carro.

Todas as tentativas de contato com os proprietários da loja, conta Geraldini, foram em vão. No sábado passado, ele esteve no local e encontrou outros clientes indignados com o fechamento repentino. “Só consigo falar com o vendedor que me vendeu o carro. Ele falou que também não consegue mais falar com os donos da loja e que está com três meses de salário atrasado além de ter financiamentos de carro em seu nome”, contou o comprador.

Troca do carro

Em situação parecida está a autônoma Márcia Lélia de Jesus, 41, que em junho procurou a loja para trocar de carro. “Eu tinha um Punto que faltava R$ 4 mil para ser quitado. Então dei esse falou para que a loja quitasse e peguei outro carro de maior valor, financiando a diferença. Agora o banco me cobra diariamente porque a loja não quitou o Punto. Eles ficaram com os R$ 4 mil”, contou a mulher. Ela também não recebeu os documentos do novo carro que comprou. “Estou com dois contratos de financiamento abertos no banco e o meu nome já está sujo.

Segundo um outro cliente que está com problemas, que preferiu não se identificar, as ações suspeitas da loja começaram há seis meses. “Eu compro carro com eles há cinco anos, mas no primeiro semestre entreguei uma caminhonete financiada em uma troca e eles, sem quitar, a venderam para um novo cliente, que comprou o carro sem saber do financiamento e não teve o documento alterado.” O homem relata que atualmente a família tem quatro carros adquiridos na loja e que já registrou dois boletins de ocorrência.

Leia mais  Buraco em rua de Sorocaba aumenta e moradores precisam deixar casas
Comentários

CLASSICRUZEIRO