Sorocaba e Região

Rotary Club: jovens contam experiência de intercâmbio

Desafio de viver uma nova cultura é principal benefício relatados pelos participantes
Jovens contam experiência de intercâmbio
Jovens contarão experiências de intercâmbio e falarão sobre seus países de origem. Crédito da foto: Fábio Rogério

Outro idioma. Comidas e hábitos diferentes. Encarar desafios. Conhecer uma cultura nova. Todas essas experiências são vivenciadas através do Programa Intercâmbio Jovens (PIJ) do Rotary Club Internacional. Hoje 20 jovens estrangeiros participam do evento, que acontece no auditório do jornal Cruzeiro do Sul, de escolha de destino de 18 brasileiros para apresentar seus respectivos países. Aqueles que também já retornaram do intercâmbio contarão o quanto a vida em outro país foi capaz de promover mudanças, como é o caso de Giovanna Ferreira, 19.

Leia mais  Intercâmbio do Rotary contempla 25 jovens

 

Giovanna recorda que aos 16 anos participou do programa de intercâmbio e que seu destino foi a Índia. “Eu queria muito conhecer o país, mas não estava entre as opções disponíveis divulgadas previamente. No dia do evento de escolha foi anunciada uma vaga para a Índia e aí eu escolhi”, conta. Giovanna lembra que sua mãe ficou apreensiva com a escolha, por conta dos costumes muito diferentes dos brasileiros.

Jovens contam experiência de intercâmbio
Giovanna ficou 11 meses na Índia. Crédito da foto: Fábio Rogério

Ela conta que durante 11 meses viveu com quatro famílias indianas e a experiência transformou sua vida. “Eu saí da minha bolha. Saí da zona de conforto e voltei totalmente mudada.” Entre todas as novidades que a Índia apresentou à jovem, a comida foi o que mais causou estranhamento. Giovanna conta que conheceu com mais profundidade a prática do yoga e que entre as dificuldades que enfrentou aponta a água. “As famílias falavam para que a gente não tomasse água na rua. Eu tive alguns problemas de intoxicação, que é bem comum lá, mas as coisas boas superaram qualquer problema”, pontua.

Jovens contam experiência de intercâmbio
Vanda Rácskai, 17, é natural da Hungria. Crédito da foto: Fábio Rogério

A comida também é a principal dificuldade apontada por Vanda Rácskai, 17, natural da Hungria. Desde julho do ano passado ela vive aqui em Sorocaba e o que mais incomoda a adolescente é o tradicional arroz e feijão. “No meu país nós comemos muita carne e batata. Para substituir o arroz e feijão eu como muita massa”, relata. Com o idioma ela já está bem adaptada e o que mais gostou no Brasil foi a alegria e simpatia das pessoas com quem convive. A húngara conta que o país também é muito bonito e já conheceu lugares encantadores, como Salvador (BA), Natal (RN) e Vitória (ES).

Garrett James Miller, 19, está aqui desde agosto de 2018 e vive com uma família em São Roque. Diferente de Vanda, a comida brasileira conquistou o coração do jovem americano. Sua única restrição é com o tradicional acarajé baiano. “Eu volto para a casa em julho e vou sentir falta do acolhimento dos brasileiros”, relata. A língua portuguesa é classificada por Garrett como “muito difícil” e diferente do inglês.

Jovens contam experiência de intercâmbio
Garrett, 19, é americano e veio em agosto. Crédito da foto: Fábio Rogério

Para Delma Dias, coordenadora dos inbounds, a interação entre os jovens estrangeiros e os brasileiros que estão prestes a escolher seus destinos de intercâmbio é riquíssima. “É uma experiência única e eles aproveitam muito a oportunidade”, afirma. Solange Oliveira Ávila Giannini, coordenadora de intercâmbio do Rotary, afirma que a viagem de longa duração para outro país demanda muita responsabilidade e emprenho por parte dos participantes. “Eles têm toda a preparação necessária para conseguirem tirar tudo de melhor que a vida do intercâmbio possibilita”, finaliza.

Contemplados definem destino de viagens

O Rotary Club Internacional — Distrito 4620 realiza neste sábado (9), a partir das 8h, no auditório do jornal Cruzeiro do Sul, o evento para que 18 jovens, com idade entre 15 e 18 anos incompletos possam escolher o destinos de seus intercâmbios. Os participantes fizeram uma prova no ano passado e os aprovados passarão 11 meses vivendo o dia a dia de outra cultura.

Segundo Solange Oliveira Ávila Giannini, coordenadora de intercâmbio do Rotary, 45 jovens participaram da seleção e hoje os 18 aprovados, escolherão, por ordem de classificação, para quais países embarcarão no segundo semestre de 2019. Entre as opções, conta Enedir Gonçalves Dias, que integra o comitê de intercâmbio, os jovens poderão escolher entre Alemanha, Bélgica, Canadá, Colômbia, Equador, França, Hungria, Índia, Itália, México e Taiwan.

Também participam jovens que já participaram do programa de intercâmbio e hoje relatam suas experiências. “Será como uma feira das nações. Quem já foi vai contar sobre o que viveu e também estarão presentes os estrangeiros que estão em intercâmbio no Brasil”, conta Enedir.

Solange destaca que entre os 18 participantes do intercâmbio 2019-2020, há dois bolsistas. Ela conta que a seleção é muito criteriosa. Os demais jovens terão a vigem financiada pela própria família, mas terão também total assistência dos voluntários do Rotary. Durante todo o processo, relata, eles são assistidos. “Antes, durante e depois da viagem o Rotary participa e ajuda em tudo que é necessário e as famílias se sentem seguras e confiam no trabalho da equipe voluntária”, relata.

No evento, os candidatos estarão acompanhados de seus familiares e dos representantes do Rotary Club patrocinador. Segundo Solange, também será feito um agradecimento às entidades que apoiam programa. Cerca de 120 pessoas estarão presentes e o professor Antonio Carlos Bramante participará com palavras de incentivo aos jovens. “O foco do programa é treinar lideranças. Vemos eles ainda imaturos aqui. Assim que são aprovados começam a se preparar para a viagem e já vão mais confiantes. Quando retornam estão preparados para encarar a vida adulta”, afirma a coordenadora. (Larissa Pessoa)

Comentários