Buscar no Cruzeiro

Buscar

Prefeita diz que escolherá líder de governo na Câmara até quinta

06 de Agosto de 2019 às 10:18
Marcel Scinocca [email protected]

Prefeita diz que o líder será um parlamentar de perfil conciliador. Foto: Emídio Marques

*Atualizada às 11h20

A prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PTB), afirmou que seu líder de governo na Câmara deverá ser escolhido até quinta-feira (8) e que o perfil será de um parlamentar conciliador. A chefe do Executivo participou da sessão ordinária desta terça (06), a primeira depois da posse e cassação do mandato de José Crespo (DEM).

Em seu discurso na tribuna, Jaqueline Coutinho falou em trabalho em equipe e na necessidade de se trabalhar sem viés ideológico. "Eu tenho um perfil de equipe. Sempre trabalhei em equipe", afirma.

A prefeita também falou em respeito recíproco e garantiu que o processo de cassação pelo qual passou em julho no Legislativo não influenciará na relação entre poderes. Ela também deixou canal aberto e direto entre com os parlamentares.

[irp posts="150170" ]

 

Vereadores questionam e comentam ações

Com a presença de Jaqueline Coutinho na Câmara, Iara Bernardi (PT) questionou a prefeita sobre o orçamento da cidade. Já Vitão do Cachorrão (MDB) falou sobre a possibilidade de colocar um guarda municipal nas unidades de educação, citando os frequentes furtos da CEI 106, tema de matéria do Cruzeiro do Sul desta terça-feira.

Francisco França (PT) falou sobre as obras do BRT, em execução na zona norte da cidade. Silvano Júnior (PV) parabenizou Jaqueline Coutinho pelo anúncio da contratação de 40 médicos, conforme informou hoje o Cruzeiro. Fausto Peres (Podemos) também parabenizou a prefeita pela contratação dos médicos.

Jaqueline falou aos vereadores na abertura da sessão. Foto: Emídio Marques

Processo de cassação é lembrado

O vereador Engenheiro Martinez (PSDB) explicou que votou pela cassação dela no processo em que ela passou na Câmara, segundo ele, por determinação do partido.

João Donizeti Silvestre (PSDB) falou da necessidade de comprometimento com a cidade e do perfil conciliador de Jaqueline Coutinho. "Estaremos somando com você", disse.

Pastor Apolo (PSB) se colocou à disposição da prefeita. Wanderley Diogo (PRP) também teve o mesmo posicionamento. Luis Santos (Pros) falou em base de governabilidade.

Irineu de Toledo (PRB), que votou contra a cassação de Crespo e contra a cassação dela, em julho, frisou que a oposição não vai se aliar para o bem da cidade e que isso é ilusão. "O caminho não é assim tão florido", afirmou. Anselmo Neto (PSDB) falou na expectativa de melhora e disse que "cansou de briga na cidade" e também falou em governar sem se iludir.

Hélio Brasileiro (MDB) justificou a ausência à reunião de ontem entre a prefeita na Câmara, dizendo que tinha compromisso com pacientes. "Não vivo da política, vivo da medicina", frisou. Ele também lembrou que o momento é de maturidade.

Cíntia de Almeida (MDB) abriu dizendo que ela e Jaqueline Coutinho fazem parte de um time e falou que o governo Crespo já realizou mais de 500 obras. Rodrigo Manga (DEM) também justificou a ausência à reunião na segunda-feira e falou de verbas que teria conseguido via emenda parlamentar.

Renan Santos (PCdoB) falou da necessidade de estabilidade na cidade. Hudson Pessini (MDB), namorado da prefeita, falou que continua vereador e que o relacionamento com a prefeita não encurta caminhos.

Após os vereadores, Jaqueline Coutinho citou a situação como novela mexicana e fez mea culpa sobre a situação.