Informação Livre

Marum e o Verde

Promotor fala da transferência do macaco Black e de questões ambientais
Marum e o Verde
Crédito da foto: Erick Pinheiro

O promotor de Justiça Jorge Marum, que é responsável pelas questões do meio ambiente em nossa região enquanto atuação do Ministério Público, esteve em visita ao jornal Cruzeiro do Sul, quando foi recebido pelo presidente do Conselho Superior da FUA, Valdir Euclides Buffo Junior, o presidente do Conselho de Administração da FUA, César Augusto Ferraz dos Santos, e o conselheiro Laelso Rodrigues. Em entrevista ao Editor-Chefe, Marum falou sobre os assuntos mais prementes que cercam sua promotoria como poluição sonora e, em especial, conversou também sobre o chimpanzé Black que foi, recentemente, transferido do zoológico municipal para uma ong de grandes primatas. Acompanhe a entrevista acessando jornalcruzeiro.com.br ou pelo código a seguir, com o seu celular.

Faltou articulação?

Os dois projetos de lei que deveriam ser apreciados ontem na Câmara de Sorocaba estavam, de alguma forma, interligados. Muitos vereadores justificaram todo o barulho causado na sessão extraordinária pela falta de informação e de articulação do Executivo em torno do caso. A maioria argumentou que foi surpreendida com o casamento dos projetos, que tratavam da gestão da UPH Leste para a Santa Casa e das dívidas do BOS. O secretário Flávio Chaves, da Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas da Prefeitura de Sorocaba, esteve no Legislativo, mas já era tarde. Deu no que deu. O projeto sobre as dívidas tem chance de ser aprovado na próxima quinta-feira, mas se houvesse mais comunicação entre os poderes, a desculpa dos parlamentares do desconhecimento da articulação entre Executivo e instituição não seriam desculpa. O pior é que não é a primeira vez que isso ocorre.

Leia mais  Governador busca investimentos

Regular

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo aceitou recurso da Câmara de Sorocaba e reconsiderou a decisão sobre as contas do Legislativo, que estavam até então irregulares pela Corte de Contas. O processo é referente ao exercício de 2012, quando Francisco Martinez (PSDB) era o presidente. O julgamento, após sustentação oral, ocorreu em sessão do TCE de quarta-feira (8).

Deputados focam em frentes e CPIs para ganhar visibilidade

CPI do Táxi Aéreo – A comissão que vai investigar irregularidades na prestação dos serviços de táxi aéreo por parte de empresas que atuam no Estado definiu como presidente o deputado Delegado Olim (PP). A CPI vai convocar autoridades e pessoas relacionadas ao mercado de aeronaves com o objetivo de esclarecer o aumento no número de acidentes no Estado nesse meio de transporte. Existem helicópteros em condição irregular e pessoas que não estão habilitadas pilotando, afirma Olim. A CPI deverá reunir-se às quartas-feiras, às 13h.

Leia mais  Sorocaba terá Fórum de Turismo

Proteção aos animais – A CPI que trata da vendas de animais elegeu como presidente Bruno Ganem (Pode). O alvo são os canis, clandestinos ou não. O relator será Delegado Bruno Lima (PSL). A CPI deverá reunir-se às quintas-feiras, às 11h, e tem prazo de 120 dias para concluir os trabalhos.

Apoio ao ensino – Lançada a Frente Parlamentar em Defesa das Instituições Públicas de Ensino, Pesquisa e Extensão. O novo colegiado é resultado da junção de duas frentes que tratavam das universidades e dos institutos e fundações. Será coordenado por Beth Sahão (PT).

Igualdade – Outra frente parlamentar lançada é a de Promoção da Igualdade Étnico-Racial e em Defesa dos Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais. Os trabalhos serão divididos em sete eixos: mulheres negras, populações indígenas e comunidades, racismo religioso, trabalho e empreendedorismo, violência institucional, saúde e educação. Será coordenada por Leci Brandão (PCdoB).

Leia mais  Magnus reencontra Pato Futsal no Paraná e tenta manter a posição

Supersalários – A deputada Valeria Bolsonaro (PSL), relatora da CPI da Gestão das Universidades Públicas, disse que há funcionários nos campus com salários de até 70 mil reais. “Queremos que essas pessoas que estão sugando o dinheiro saiam, e que os recursos sejam reaproveitados para os alunos e para um ensino de qualidade‘, diz ela. A CPI deverá ouvir os reitores e o presidente do Tribunal de Contas do Estado.

Comentários

CLASSICRUZEIRO