Buscar no Cruzeiro

Buscar

Conferência Municipal

28 de Novembro de 2018 às 09:26

O Conselho Municipal da Criança e Adolescente de Sorocaba, com apoio da Secretaria de Igualdade e Assistência Social (Sias), realizará nesta quarta e quinta-feira (28 e 29), das 9h às 17h, a 9ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, que terá como tema central “Proteção Integral, Diversidade e Enfrentamento das Violências”. O objetivo da conferência é mobilizar a sociedade no dia 28 e as crianças e adolescentes no dia 29 para debater propostas voltadas para a Proteção Integral, a Diversidade e o Enfrentamento das Violências nas Políticas Públicas. Durante os dois dias, serão discutidos os cinco eixos temáticos do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Conanda (Conselho Nacional). São eles: garantia dos direitos e políticas públicas integradas e de inclusão social; prevenção e enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes; orçamento e financiamento das políticas para crianças e adolescentes; participação, comunicação social e protagonismo de crianças e adolescentes, e espaços de gestão e controle social das políticas públicas de criança e adolescente. O evento ocorrerá no Instituto Humberto de Campos, localizado na rua Rosa Maria de Oliveira, nº 333, no Jardim Zulmira.

Nomes anunciados

Apesar do nome do deputado federal Vitor Lippi (PSDB) ter sido ontem alvo de conversas de bastidores na Câmara de Sorocaba como futuro secretário no mandato do governador eleito o tucano João Doria, Lippi negou. Ontem, Doria anunciou três nomes para sua equipe de governo: Lia Porto como procuradora-geral do Estado, Bia Doria como presidente do Conselho do Fundo Social e Filipe Sabará como presidente executivo do Fundo Social. Em nota, o deputado tucano, reeleito por Sorocaba, disse que “não procede a informação de que ele assumirá uma pasta junto ao governo do Estado a partir de janeiro”. “Essa expectativa se explica pelo fato de eu ser parte integrante da equipe política do novo governador paulista João Doria e participar semanalmente das reuniões de planejamento do futuro governo”, disse Lippi. O deputado afirma ainda que irá cumprir o mandato para o qual foi reeleito. “Vou cumprir o mandato à qual fui eleito, ajudando Sorocaba e região, e estou completamente à disposição do nosso governador João Doria no que for preciso para contribuir com o Estado de São Paulo, atuando em Brasília”, finalizou. Na segunda-feira Lippi esteve em reunião em São Paulo com a equipe de trabalho de Doria e até publicou um vídeo sobre isso em sua página na rede social Facebook. Doria durante a campanha eleitoral já havia falado que pretendia criar uma secretaria destinada a tratar especificamente das pautas com os municípios, o nome do titular, porém, ainda não foi definido. Novos nomes para compor seu secretariado devem ser anunciados pela equipe de João Doria na próxima segunda-feira (3). “Faremos uma administração descentralizada e em parceria com os municípios paulistas”, postou ontem o governador eleito em sua página oficial na rede social Facebook.

Polêmica e livros

O secretário municipal de Educação, André J. Gomes, usou a tribuna da Câmara de Sorocaba, na sessão ordinária ontem, para criticar um vídeo que foi postado nas redes sociais por uma vereadora da oposição. Ela acusa a Prefeitura de Sorocaba de devolver livros didáticos gratuitos, que foram enviados pelo Ministério da Educação, a pedido das escolas, para a rede municipal de ensino, para o ano letivo 2019. O secretário, contudo, classificou as informações passadas pela vereadora no vídeo de “mentiras” e de “irresponsabilidade”. Na Câmara, o secretário disse que “o vídeo nas redes sociais é mentiroso e manipulador”, e que ela deveria ter se informado antes, e ter consultado a Secretaria de Educação (Sedu)”. “O que a senhora fez foi prestar um desserviço aos seus eleitores, a senhora prestou um desserviço aos telespectadores da Câmara e a comunidade sorocabana de uma maneira geral”, acrescentou. André esclareceu ainda que os livros não poderiam ser devolvidos ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) porque não foram pedidos pela Sedu. “Nós não podemos devolver porque nós não solicitamos”, afirma o secretário. Ele disse ainda que a vereadora o acusa de não trabalhar. “Eu não tenho medo da senhora e nem das suas ameaças veladas. E vamos sim implantar as apostilas do Sistema de Ensino do Sesi nas escolas da rede municipal, material de ensino da mesma qualidade das melhores escolas particulares do Brasil”, justificou.