Informação Livre

Alexandre Garcia agora também no jornal Cruzeiro do Sul

As crônicas do jornalista também são veiculadas diariamente na Cruzeiro FM 92,3
Alexandre Garcia agora também no jornal Cruzeiro do Sul
Crédito da foto: Divulgação

O Cruzeiro do Sul começa a publicar nesta quarta-feira (7) a coluna semanal do jornalista Alexandre Garcia, que já colabora com o portal do jornal com suas crônicas elaboradas para emissoras de rádio e que também são veiculadas diariamente na Cruzeiro FM 92,3.

Aliás, quem acompanha a coluna eletrônica do jornalista na Cruzeiro FM pode ouvi-la novamente aqui no portal do Jornal Cruzeiro do Sul, já que todos os dias ela é atualizada.

Natural de Cachoeira do Sul (RS), Alexandre Eggers Garcia tem 79 anos, atuou no Jornal do Brasil, na extinta TV Manchete e na Rede Globo de Televisão, onde permaneceu por mais de 30 anos.

Entre 1979 e 1980, foi porta-voz do presidente João Batista Figueiredo.

Atualmente, ele distribui suas crônicas para dezenas de emissoras de rádio do País e, mais recentemente, artigos escritos, que este jornal passa a publicar a partir desta quarta-feira (7).

Os artigos do historiador e escritor Leandro Karnal passarão a ser publicada às quintas-feiras e aos domingos.

Pancadões

A Câmara de Sorocaba deverá analisar nesta quarta-feira (7), em segunda discussão, o projeto de lei número 46 de 2020, um substitutivo, que proíbe a utilização de vias públicas, praças, parques, pistas de caminhada, jardins e demais logradouros públicos para a realização por particulares de “pancadões”.

A medida valerá também para outros eventos musicais não autorizados ou ainda que utilizem aparelhos de som instalados em veículos automotores.

A proibição se estende a espaços privados de livre acesso ao público como postos de combustíveis e estacionamentos ou qualquer outro espaço público ou privado que não seja regularizado, estruturado e devidamente autorizado pelo poder público municipal para este tipo de evento.

A multa prevista é de R$ 3 mil, a ser cobrada em dobro a cada reincidência. Os postos de combustíveis deverão inserir placa em local visível informando da proibição, sob pena de multa no valor de R$ 2 mil.

O projeto já foi aprovado em primeira discussão com cinco emendas. Em segunda discussão, recebeu mais duas emendas.

Base de apoio para entregadores

Também em primeira discussão, entra na ordem do dia a iniciativa que obriga as operadoras de aplicativos de entrega de produtos, com atividades no município de Sorocaba, a manter ao menos um ponto de apoio físico na cidade aos trabalhadores responsáveis pela entrega.

Essa base de apoio deverá ter instalações adequadas para acomodar o número de entregadores que operam o sistema enquanto aguardam os pedidos efetuados, garantindo a eles sanitários, produtos de higiene e água potável.

O projeto prevê que a Prefeitura deve regulamentar a lei, caso aprovada, e estabelece prazo de 90 dias para que as operadoras cumpram a norma, independente da regulamentação. O projeto tem parecer favorável da Comissão de Justiça.

Extinção de órgãos públicos

Nesta terça-feira (6), os deputados estaduais paulistas analisaram possíveis consequências da extinção de órgãos públicos prevista no projeto de lei 529 de 2020, que se encontra em discussão na Assembleia Legislativa.

A medida foi criticada, por exemplo, pelo deputado Agente Federal Danilo Balas (PSL). “Visitei a cidade de Pilar do Sul, onde o governo prometeu construir 68 casas pela CDHU. As obras, que deveriam ter começado em setembro de 2018, estão paradas. Quem vai construir essas casas?”, questionou.

O PL também prevê alterações em impostos. Outros três parlamentares também se manifestaram sobre a questão.

Comentários