Sorocaba e Região

Infestação de pombos preocupa moradores de Araçoiaba da Serra

Situação piorou quando um morador da região central passou a alimentar os pombos, jogando milho para o bando de animais
Animais são alimentados diariamente em um sobrado. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

A área central de Araçoiaba da Serra, na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), está infestada por pombos. A situação tem preocupado os moradores, comerciantes e pessoas que passam diariamente pelo local.

Segundo um comerciante, que pediu para ter a identidade preservada, a maioria dos animais fica na praça Coronel Almeida, a Praça da Matriz, e nas imediações, como no Museu Histórico José Pinto. Além dele, outros lojistas sofrem com a situação.

“Você está comendo em uma lanchonete e os pombos aparecem debaixo da mesa”, contou o homem.

De acordo com o comerciante, a situação piorou quando um morador da região central passou a alimentar os pombos, jogando milho para o bando de animais no telhado da casa todos os dias. O transtorno para os comerciantes também tem sido financeiro, já que as pessoas têm preferido não frequentar aquela região.

“Está tudo sujo, cheio de fezes. E a situação está assim já faz um ano”, disse o homem, que afirmou já ter contatado a Prefeitura, em busca de alguma providência. O comerciante afirmou que também já tentou conversar com o morador da casa que alimenta os animais, porém, não houve negociação.

Saúde em risco

Segundo o biólogo Guilherme Cruz, do zoológico Quinzinho de Barros, de Sorocaba, há como diminuir a infestação sem abater os animais, como, por exemplo, não facilitando a proliferação da espécie alimentando e dando abrigo aos pombos.

Leia mais  Famílias aproveitam feriado para passear nos parques de Sorocaba

“Os pombos podem ser transmissores de várias doenças. Eles carregam microrganismos que são prejudiciais até para outros animais, como piolhos”, explicou o biólogo.

O especialista afirma que as principais doenças transmitidas pelos pombos aos humanos são a criptococose e a salmonelose. No primeiro caso, a pessoa contrai a doença ao entrar em contato com um fungo presente nas fezes da ave. Ela atinge principalmente o sistema respiratório, causando inflamações, que podem levar à meningite.

Já salmonelose é contraída por meio do sistema respiratório, quando o humano entra em contato com a bactéria da salmonela, presente no pombo. “Se trata de uma doença infecciosa provocada por bactérias. A contaminação também pode ocorrer pela ingestão de alimentos contaminados”, disse Guilherme. Entre os sintomas da salmonelose estão febre e diarreia.

Como precaução, o biólogo destaca a importância de lavar os alimentos, não manipular pombos e, caso seja necessário, sempre com auxílio de um profissional e com luvas, além de não permanecer em locais infestados pelos pombos.

Leia mais  Tecnologia otimiza os equipamentos de saúde

Prefeitura

O jornal Cruzeiro do Sul entrou em contato com a Prefeitura de Araçoiaba da Serra, que informou que a Secretaria de Obras e Serviços trabalha em parceria com a Vigilância Sanitária no caso. Conforme as pastas, já foi solicitada a contratação de uma empresa especializada na prestação deste tipo de serviço, que irá identificar o melhor método a ser empregado.

Ainda segundo a Prefeitura, para que os serviços sejam feitos haverá um processo licitatório, que se encontra em fase de cotação. “Por lei, é obrigatória a realização de um orçamento estimado para abertura de um certame a fim de obter os preços mais vantajosos para administração pública.”

Informou também que a colocação de placas de advertência poderá ser estudada, bem como a realização de educação ambiental em escolas e prédios do poder público. Informamos que um dos pontos, objeto da licitação em andamento é o museu municipal, com sistema de controle de pombos, por meio de um equipamento eletrônico formador de campo eletromagnético, com o objetivo de repelir o pouso e a permanência de pombos sem malefícios aos seres humanos e animais. (Da Redação)

Comentários