Sorocaba e Região

Grupo critica fechamento de escola Pré-Militar privada em Sorocaba

Instituição também tem sedes em Bragança Paulista, Cruzeiro, São Vicente e Santo André
Grupo critica fechamento de escola Pré-Militar privada em Sorocaba
Mensagem informando o encerramento das aulas foi enviada via whatsapp. Crédito da Foto: Reprodução

Um grupo de responsáveis por alunos matriculados em curso da empresa Exatta Cursos, que prepara pessoas entre 12 e 29 anos para ingressar em carreiras militares, critica o fechamento da unidade em Sorocaba. Eles consideram uma atitude inesperada que vai gerar prejuízo financeiro. A mãe de um dos estudantes, Kelen Sueli Pavani, procurou o Cruzeiro do Sul e falou sobre a situação. O filho dela, Matheus, de 14 anos, estava frequentando as classes, aos sábados, desde novembro. A escola também tem sedes em Bragança Paulista, Cruzeiro, São Vicente e Santo André.

Leia mais  Vestibulinho das Etecs inscreve até esta quarta-feira (15)

 

De acordo com Kelen, existe um grupo no WhatsApp com os pais de estudantes que participavam do curso, denominado PC Militar. Nesta quarta-feira (15), segundo ela, uma funcionária enviou uma mensagem informando que as atividades se encerrariam no próximo sábado, alegando inadimplência de ao menos 80% dos matriculados em determinado período. “É uma mentira das grossas porque tiveram pais que chegaram a pagar o curso integralmente no cartão de crédito”, afirma. Ainda conforme a mãe, logo que o anúncio foi feito, uma das administradoras da escola, Hirla Rodrigues Gaby, teria deixado o grupo. “É uma tremenda falta de consideração. Quando vieram para vender os cursos, veio todo mundo. Na hora de fechar, ela largou a bomba na mão de funcionários e saiu”, emenda.

No caso de Kelen, ela cita prejuízo de pelo menos R$ 2.100, levando em conta, entre outras coisas, a mensalidade, apostilas, uniforme e materiais usados em atividades de campo (coturno, mochila, cantil, facas etc). “Isso para um curso que não chegou nem à metade”, diz ela, já que a preparação durava, em tese, um ano e meio. Diante da situação, os responsáveis prometem fazer um protesto e, em seguida, registrar um boletim de ocorrência.

Kelen também ouviu o relato de uma outra mãe, de Bragança Paulista, que falava sobre o sentimento do filho. “Ele perdeu o pai. E eu, sem pensar muito, decidi colocar ele no curso. Ele estava meio depressivo e ficou muito feliz em fazer o curso. A gente se uniu aqui, é uma família simples. Eu estou chocada, gastei muito, coisa que não devia. Ele fez tudo o que pediram, só que veio essa bomba e desmoronou tudo. Ele está muito triste”, disse, em mensagem de áudio.

O outro lado

A reportagem entrou em contato com Hirla. Ela passou a ligação para o sócio e advogado da Exatta, Márcio Rodrigues. Ele reforça o motivo do fechamento do polo e diz que a razão foi a mesma para o encerramento das atividades em Bragança Paulista e Cruzeiro. “Houve inadimplência altíssima, chegando a quase 80% em alguns meses. Estávamos pagando para o polo funcionar.” Rodrigues afirma, também, que não haverá prejuízo a quem participou das atividades. “Como é uma preparação para provas, não há prejuízo para os alunos. Não é um curso de formação, não tem uma certificação, é como se fosse um curso pré-vestibular”, alega.

Rodrigues ainda garante que houve tentativa de negociação com quem estava inadimplente por pelo menos dois meses. “Somos uma empresa séria, há muitos anos no mercado. Fizemos um trabalho muito ferrenho de contatar os inadimplentes. Alguns inadimplentes já estavam faltantes também, não atendiam o telefone, não davam resposta. Eu sei que não são todos, provavelmente os pais que te procuraram não estão inadimplentes, mas não tinha mais nenhuma condição”, declara.

Sobre a saída de Hirla do grupo do Whatsapp, o advogado explica: “Depois do comunicado final, não tem o que fazer. Começam a ter questões que não vão chegar a lugar nenhum. Ela abriu o contato privado para qualquer um entrar em contato. No grupo, qualquer coisa que você fala vira algo absurdo.” Em relação aos pais que teriam pago o valor integralmente no cartão de crédito, a própria Hirla expôs sua versão mais tarde. “Tiveram duas pessoas em Sorocaba que pagaram o curso todo no cartão. Das duas, uma eu devolvi o dinheiro. A outra, a fatura do cartão dela vence no dia 5 e eu já combinei de pagá-la nesse dia.”

PC Militar

O curso PC militar, conforme consta no site usado para divulgá-lo, tem o objetivo de “preparar jovens a partir dos 12 anos de idade, de ambos os sexos, para prestarem concursos públicos e ingressarem em academias militares. “Os colégios militares abrem milhares de vagas anualmente em todo o Brasil. O concurso público militar é a única forma de seguir uma carreira militar de sucesso e garantir um futuro profissional estável, servindo ao país”, informa texto publicado. (Esdras Felipe Pereira)

Comentários

CLASSICRUZEIRO