Eleições 2020 Sorocaba e Região

Fundo Especial custeia campanhas eleitorais de Sorocaba

Maior parte das campanhas dos candidatos à Prefeitura será custeada com dinheiro público
Fundo Eleitoral é que custeia as campanhas eleitorais de Sorocaba
O dinheiro público do Fundo Eleitoral garante a realização de seis campanhas políticas. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (5/8/2020)

A maior parte das campanhas eleitorais de Sorocaba será custeada com dinheiro público. Levantamento realizado pelo jornal Cruzeiro do Sul indica que mais de 93,3% são de valores referentes ao Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) — simplesmente chamado de Fundo Eleitoral. Esses dados se referem a seis das oito candidaturas à Prefeitura de Sorocaba, já que Doutor Leandro (Democratas) e Professor Flaviano (Avante) dispensaram o recurso. Dos R$ 4.842.703,38 declarados como receita pelas campanhas para serem gastos, R$ 4.521.746,62 saíram dos cofres públicos. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com as informações, R$ 2.425.000,00 foram declarados como receita de doação partidária pela campanha da coligação “Sorocaba, força e união para crescer”, que tem Jaqueline Coutinho (PSL) como candidata à Prefeitura. Em seguida, aparece a receita declarada na mesma situação, ou seja, doação de partido, referente ao Fundo Especial, do candidato Rodrigo Manga (Republicanos), da coligação “A mudança vai começar”. O valor é de R$ 890.000,00. Logo na sequência aparece o valor declarado da coligação “Sorocaba moderna de novo”, que é de R$ 695.000,00, da candidata Maria Lucia (PSDB).

Leia mais  Governo de SP vai instalar hospital de campanha em Itapetininga

A lista ainda traz R$ 250.000,00 referente a Renan Santos (PDT), que é candidato a prefeito da coligação “Vamos Sorocaba”. Da coligação “Sorocaba o futuro é agora”, com Raul Marcelo (Psol) como candidato, o valor declarado de receita referente ao Fundo Especial é de R$ 226.746,62. Carlos Péper, que concorre pelo Solidariedade, declarou receita de R$ 35.000,00.

Doações de pessoas físicas

Ainda conforme os números disponibilizados pelo TSE, até a tarde de terça-feira (10), R$ 268.206,76 foram doados para as campanhas por pessoas físicas. A campanha encabeçada pelo PSDB recebeu o maior volume de doações até a data. Foram R$ 110.000,00. Já a coligação encabeçada pelo Republicanos tem o segundo maior volume, de R$ 66.106,76. Em seguida, aparece a campanha da coligação que tem o Psol com candidato cabeça de chapa. O valor recebido de pessoas físicas é de R$ 57.850,00. As doações, nesse caso, correspondem a 5,5% do total declarado até agora.

Dos R$ 4.842.703,38 declarados como receita, R$ 3.235.391,11 já foram apresentados como despesas, o que corresponde a 66,8% do total.

Leia mais  Supremo libera uso de armas para GCMs em municípios com menos de 50 mil habitantes

Recursos próprios

Há ainda os recursos que os próprios candidatos destinaram para suas campanhas. O valor é de R$ 55.000,00, correspondente a quatro campanhas. O maior valor é da campanha de Raul Marcelo, R$ 19.000,00. Porcentualmente, o valor destinados pelos próprios candidatos é de 1,1% do total do valor total declarado.

Como funciona a distribuição

Em 16 de julho, o TSE considerou para o cálculo de distribuição do Fundo Especial, o número de representantes eleitos para a Câmara dos Deputados e para o Senado Federal nas Eleições Gerais de 2018, bem como o número de senadores filiados ao partido que, na data do pleito, estavam no primeiro quadriênio de seus mandatos. Antes dessa decisão, o TSE havia calculado o FEFC com base na representatividade partidária apurada no primeiro dia útil de junho do ano corrente.

Leia mais  Justiça determina que Prefeitura divulgue lista de pessoas a serem vacinadas

O total de recursos distribuídos entre as 33 agremiações foi de R$ 2.034.954.823,96. Com o novo cálculo, o Partido dos Trabalhadores (PT) receberá o maior montante, com mais de R$ 201 milhões, seguido pelo Partido Social Liberal (PSL), com cerca de R$ 199 milhões, e pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), com aproximadamente R$ 148 milhões. A partir daí, ocorre a distribuição para as campanhas pelos partidos, conforme seus critérios. A Prefeitura de Sorocaba é considerada uma das principais prefeituras disputadas pelo PSL, o que pode explicar o valor dedicado à cidade para o pleito. (Marcel Scinocca)

Comentários