Sorocaba e Região

Frio aumenta demanda de consultas nas UBSs

Com a queda na temperatura, procura por atendimento cresceu 30%; Influenza já causou 4 mortes na cidade
Frio aumenta demanda de consultas nas UBSs
Problemas respiratórios e alérgicos são os que mais afetam os pacientes neste época do ano. Crédito da foto: Fábio Rogério

Basta uma queda brusca nas temperaturas para que a procura por atendimento médico aumente. Em Sorocaba, segundo a Secretaria de Saúde (SES), foi constatado um aumento de 30% nas consultas realizados nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Pronto-Atendimento (PA) do Éden e Unidades Pré-Hospitalares (UPHs). Sobre os casos de Influenza A (H1N1), a pasta informou que Sorocaba contabiliza quatro óbitos em 2019. As vítimas foram dois homens, de 32 e 45 anos, e duas mulheres, 56 e 87 anos.

A SES também divulgou que não sabe se as quatro pessoas vitimadas pela doença tinham sido vacinadas, mas ressaltou que Sorocaba superou a meta de cobertura da Campanha de Vacinação Contra a Gripe. A cidade atingiu 91,43% e a meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de 90%. Foram aplicadas 209.231 doses na cidade. Segundo a pasta, os casos totais de Influenza classificados como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) chegaram a 15 neste ano.

Segundo a pediatra e coordenadora da regulação de leitos de urgência e emergência da SES, Maria Fernanda Benevenuto Fontão, esse período de sazonalidade, que se estende de abril até agosto, é característico pelo aumento da poluição e proliferação de bactérias e vírus. “As temperaturas caem e a umidade relativa do ar também, então torna-se imprescindível a hidratação”, destaca a médica.

Leia mais  Após viralizar em post da Unicef, médica de Sorocaba continua caminho em prol da vacina

Os processos alérgicos crônicos, afirma Maria Fernanda, também ficam mais comuns nessa época. As crises de bronquite, asma, rinite alérgica e os quadros de atopia (alergias de forma geral) também evoluem no tempo seco e frio. “Quando não temos a mucosa nasal hidratada, ela fica mais suscetível às infecções, então é importante hidratar e fazer a higiene nasal.” A aplicação de soro nasal e inalação com soro fisiológico, assim como a limpeza nasal durante o banho são ações simples e efetivas para se prevenir as doenças respiratórias.

A médica também destaca que para pessoas portadoras de doenças crônicas, é necessário manter o controle medicamentoso. “Os alérgicos e os asmáticos, por exemplo, precisam manter o acompanhamento médico regular e fazer uso adequado dos remédios para evitar crises.” Ela também destaca que hipertensos e diabéticos devem manter o mesmo cuidado, pois as temperaturas mais frias causam predisposição ao infarto agudo do miocárdio.

Leia mais  Sorocaba vacina idosos de 82 anos ou mais nesta segunda-feira (1º)

Além da hidratação, uma alimentação balanceada e o calendário vacinal completo também auxiliam na prevenção das doenças comuns desta época. Maria Fernanda lembra que crianças menores de dois anos precisam de mais atenção por ainda não terem o sistema imunológico completamente formado e o calendário vacinal ainda incompleto. “É preciso ficar em alerta com tosses seguidas de falta de ar, desconforto respiratório, febre alta persistente, falta de apetite. Diante desses sintomas é necessário uma consulta de urgência com o pediatra”, alerta.

Cuidado redobrado

Frio aumenta demanda de consultas nas UBSs
Leila com a filha Antonella. Crédito da foto: Fábio Rogério

Embora a chegada do inverno mais rigoroso tenha sido tardia em Sorocaba, os últimos dias de frio demandaram maiores cuidados com a saúde, principalmente com as crianças. “É só esfriar um pouquinho que ela já começa a tossir, ter coriza, ficar manhosa. Já corro fazer inalação nela”, conta Leila Daiane Costa, 33, mãe da pequena Antonella Maitê Rodrigues, de um ano e meio. Desde os nove meses a menina sofre com sinusite.

Leia mais  Operação contra aglomerações autua 229 veículos e fecha três estabelecimentos
Frio aumenta demanda de consultas nas UBSs
Geisa levou o pequeno Davi. Crédito da foto: Fábio Rogério

Já a asma é o que causa desconforto em Davi Giovan Gomes de Souza, de um ano e nove meses. A mãe dele, Geisa Pereira de Souza, 33, conta que os sintomas da asma se manifestaram recentemente e depois de consulta com pediatra o menino passou a fazer uso de medicamento contínuo. “Ele já até acostumou com a bombinha e eu dou xarope também”, conta Geisa, que sempre fica atenta aos calendários de consulta pediátrica na UBS do Éden.

Frio aumenta demanda de consultas nas UBSs
Emanuelly e a mamãe Silvana. Crédito da foto: Fábio Rogério

Silvana Grima dos Santos, 30, é mãe da pequena Emanuelly Grima da Silva, de dez meses e conta que depois que as temperaturas caíram a menina passou a ter bastante coriza, mas ela pensa que também pode ser pelo nascimento dos primeiros dentinhos. “Nesse frio eu mantenho ela bem agasalhada e evito sair muito de casa. Hoje (ontem) ela vai passar com pediatra também”, contou a mãe. (Larissa Pessoa)

Comentários