Sorocaba e Região

Fique esperto, segunda-feira (1º) é o Dia da Mentira

Data tem várias origens, mas brincadeira nem sempre agrada quem é vítima dos “mentirosos”

“Inventei para meu namorado, hoje meu marido, que estava grávida! Ele quase morreu de susto”. Essa foi a maior mentira contada pela estudante Jaqueline Dênis da Silva Pinto no dia considerado como o da mentira, ou seja, 1º de abril, que é amanhã. Porém, a brincadeira, que conta com diversas origens, nem sempre agrada.

Fique esperto, amanhã é o Dia da Mentira
Kátia de Cássia Rodrigues. Crédito da foto: Erick Pinheiro

A estudante, que se tornou mãe anos mais tarde, tendo hoje o filho Arthur de dez meses, explica que sempre viu a data como um dia para brincar, mas que nunca foi vítima. Já a professora Kátia de Cássia Rodrigues, que trabalha com crianças, disse ter ficado tão irritada com a mentira que lhe contaram, que nem lembra qual era. Ao seu ver, “não se deve nunca brincar com morte, doença”, e que costuma passar para as crianças que contar mentira, mesmo de brincadeira, não é bonito.

Fique esperto, amanhã é o Dia da Mentira
Larissa Rodrigues Marques. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Já a fotógrafa Larissa Rodrigues Marques contou já ter caído numa mentira e que, após se refazer do susto acabou achando engraçado e fez o mesmo, mas com outra pessoa. Segundo ela, uma amiga de infância lhe mandou mensagem pelo celular, dizendo não querer mais sua amizade, e até mesmo enumerando vários motivos para o término de convivência de tantos anos: “somente no final da escrita minha amiga esclarecia se tratar de 1º de abril”, disse. Ela, no entanto, fez isso com outra amiga.

Leia mais  Com frota reduzida, usuários relatam aglomerações em linhas de ônibus
Fique esperto, amanhã é o Dia da Mentira
Valdomiro de Sena. Crédito da foto: Erick Pinheiro

O corretor imobiliário Valdomiro de Sena coleciona passagens engraçadas pelo Dia da Mentira, mas normalmente fazendo e não sendo vítima. Ele recorda que. certa vez, para ter a ajuda da irmã, a cuidadora pedagógica Ângela Santos, inventou que tinha ganho na loteria esportiva, e “rapidamente ela veio até mim”. A irmã foi vítima outra vez, mas isso há um bom tempo: “ele colocou preservativo no meu carro, sugerindo que era meu”, causando polêmica junto à família. Mas para não dizer que nunca lhe pregaram uma mentira, ele disse que em pleno 1º do abril, sua esposa lhe mandou uma mensagem afirmando que nunca mais pegaria dinheiro de sua carteira.

Fique esperto, amanhã é o Dia da Mentira
Ângela Santos. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Há 25 anos, num dia 1º de abril, uma jovem foi pedida em casamento pelo rapaz com quem namorava há dois anos. Mas o pedido era falso e o namoro acabou poucos dias depois. Hoje, aos 45 anos, casada há 15 anos e com dois filhos, ela relembra: “Na época fiquei muito magoada; hoje, dou risada da minha ingenuidade em relação a ele”, afirma.

Leia mais  Ciesp apoia ‘Vacina Sorocaba’

Origem da data

O 1º de Abril se popularizou entre os mais maduros como o Dia da Mentira, mas entre os mais jovens não tem a mesma repercussão. A data, no entanto, tem diversas origens, inclusive em países europeus e ocidentais. Há quem acredite que a data surgiu na França.

Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX da França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1º de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano se iniciaria a 1º de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Em países de língua inglesa o Dia da Mentira costuma ser conhecido como April Fools‘Day, “Dia dos Tolos”. Na Galiza (Espanha) a data é conhecida como Dia dos Enganos.

Leia mais  Feriado antecipado em Sorocaba muda a ‘cara’ da cidade

No Brasil, o 1º de abril começou a ser difundido em Minas Gerais, onde circulou A Mentira, um periódico de vida efêmera, lançado no 1º de abril de 1828, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. A Mentira circulou pela última vez em 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente.  Fonte: Wikipédia (Adriane Mendes)

Comentários