Sorocaba e Região

Exame descarta envenenamento em bebê após visita da mãe em Sorocaba

Mulher haitiana foi acusada de tentar matar o filho, que está internado no hospital do Gpaci; caso segue sob investigação
Hoje é dia de comer Big Mac e contribuir com o trabalho do Gpaci
Hospital do Gpaci atende crianças e adolescentes em Sorocaba. Crédito da foto: Arquivo JCS

Um exame toxicológico descartou envenenamento no bebê de 10 meses que passou mal após visita da mãe haitiana no hospital do Gpaci, em Sorocaba. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (23) pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP).

Ainda conforme a pasta, testemunhas e funcionários do hospital foram ouvidos pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Sorocaba, que investiga o caso. Os policiais realizam diligências para localizar a mãe da vítima e ela também deve prestar depoimento.

Leia mais  Bebê que passou mal em hospital de Sorocaba após visita da mãe está estável

 

O exame foi realizado pelo Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciatox) da Faculdade de Medicina da Unicamp. A amostra de sangue foi colhida pela equipe médica do Gpaci logo após o fato. O resultado também foi encaminhado ao Conselho Tutelar de Sorocaba.

Conforme informado pelo Gpaci no final de setembro, a criança estava estável e sem alterações no quadro clínico. Um dia após o caso, o bebê deixou a ala de emergência do hospital e voltou à ala pediátrica. O boletim médico informava que ele não corria risco de morrer.

Questionado sobre o exame, o hospital informou que encaminhou todas as informações para a Vara da Infância e Juventude e que não se pronunciará mais sobre o assunto. O Gpaci acrescentou que tem colaborado com as autoridades policiais e municipais para a elucidação do caso.

Delegadas enfrentam excessos de plantões
O caso é investigado pela DDM de Sorocaba. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (2/5/2019)

Suspeita de envenenamento

A suspeita de envenenamento foi denunciada no dia 22 de setembro, após o menino apresentar piora no quadro. Ele teria passado mal depois de receber uma visita da mãe, que é haitiana. Segundo o Gpaci, ele passou a apresentar quadro compatível com intoxicação por causas externas.

Um médico do hospital acionou a Polícia Militar, que registrou um boletim de ocorrência. Conforme o documento, a mãe da criança teria ficado no quarto por 40 minutos. Depois disso, a vítima perdeu a consciência e entrou em coma.

Ainda segundo o registro policial, um funcionário da unidade teria visto a mãe fazendo movimentos circulares na boca da criança. A ação teria ocorrido enquanto a estrangeira fazia uma chamada de vídeo com uma pessoa no celular, com quem falava em outro idioma.

Internado em agosto

O menino havia sido internado em 23 de agosto no hospital com quadro de pneumonia. Ele é portador de cardiopatia congênita e vinha apresentando melhora no estado de saúde até a visita da mãe, segundo o Gpaci.

A ocorrência foi registrada como violência doméstica e lesão corporal consumada. O menino segue sob tutela do Estado. (Sabrina Souza)

Leia mais  Porto Feliz ganha a segunda usina solar da região de Sorocaba
Comentários