Sorocaba e Região

Ex-seccional diz que ciclo de má política foi quebrado

Denúncia do MP na Casa de Papel
Ex-seccional diz que ciclo de má política foi quebrado
Marcelo Carriel. Crédito da foto: Alessandra Santos / Cruzeiro FM

O ex-delegado seccional Marcelo Carriel disse na manhã de ontem que a denúncia feita pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) — uma divisão do Ministério Público –, quebra um ciclo da má política, da troca de favores e da falta de escrúpulos. As declarações foram feitas durante entrevista ao Jornal da Cruzeiro, da Cruzeiro FM 92.3.

Na terça-feira (10) o Gaeco apresentou denúncia contra o prefeito cassado José Crespo (DEM) e mais 17 pessoas que já tinham sido implicadas pela Polícia Civil no inquérito da operação Casa de Papel. A investigação, lembra Carriel, apontou que Crespo seria o chefe de uma organização criminosa que atuou na Prefeitura de Sorocaba para desviar recursos de contratos e direcionar vencedores de licitações, além de superfaturamento nos valores.

Leia mais  Pela 1ª vez, interior supera Capital em mortes por novo coronavírus

A investigação da operação Casa de Papel, relembra Carriel, foi conduzida por ele e sua equipe na Delegacia Seccional de Sorocaba, e que durou quase um ano. “Em poucos meses, após coletar diversas provas, ficou claro que havia uma organização criminosa atuando dentro da Prefeitura de Sorocaba”, afirmou. Segundo ele, a quadrilha tinha hierarquia, funções e gerenciamento, com a liderança do prefeito cassado e a participação de empresários, servidores e secretários municipais.

Segundo o delegado aposentado, a denúncia feita pelo Gaeco e divulgada na terça-feira já estava clara para a Polícia Civil. O inquérito, afirma Carriel, serviu para incluir pessoas que foram denunciadas e foi base para o trabalho bem fundamentado do Ministério Público.

Sobre a pressão sofrida durante o andamento do inquérito, já que ficou público os pedidos de Crespo feitos ao governo do Estado para que o delegado fosse destituído do cargo, Carriel afirmou que tudo foi muito técnico e fundamentado. “O povo de Sorocaba deve levar em consideração tudo isso que aconteceu, inclusive os bastidores, já que o prefeito cassado tentou de todas as formas colocar em dúvida o meu trabalho. Essa investigação colocou fim à falta de responsabilidade social, já que esse senhor (Crespo) desde que assumiu a Prefeitura somente pensou na reeleição”, afirmou Carriel.

Leia mais  Polícia de Sorocaba prende dois investigados por crime de homicídio

O ex-seccional ainda afirmou que há muitos fatos a serem investigados em outras secretarias e se a Seccional quiser investigar já tem o caminho inicial que foi deixado por ele na operação Casa de Papel. “Obviamente não se encerrou já que a Prefeitura é muito ampla e há muitos outros fatos em outras pastas municipais.” Ele afirmou que caso as investigações tenham continuidade, resultados semelhantes ao da operação Casa de Papel devem aparecer. “Fica o caminho aberto para que o eleitor sorocabano reflita melhor na hora de suas escolhas para pôr fim a esse ciclo vicioso que tomou conta da cidade”, declarou o ex-delegado. (Larissa Pessoa)

Comentários