Brasil Sorocaba e Região

Estado já testou 1,78 milhão para Covid-19

Estado já testou 1,78 milhão para Covid-19
A cada 10 diagnósticos da doença em São Paulo, seis se dão por meio de teste RT-PCR e três por teste rápido. Crédito da foto: Divulgação / GESP (30/7/2020)

O Estado de São Paulo alcançou o número de 1,78 milhão de testes diagnósticos para detectar o coronavírus na população. Além disso, alcançou uma média diária de 20 mil destes testes. Os dados foram divulgados na tarde de ontem (30), em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista.

O balanço apresentado aponta 1.788.185 exames processados até o dia 27. Desse total, 26,7 mil foram realizados em março; 119 em abril; 369,1 em maio; 691,6 mil em junho. Ainda preliminar, o número de 576,3 mil exames realizados em julho segue a tendência de crescimento, reiterando a expansão da testagem em conformidade com as estratégias do Governo do Estado.

Ainda segundo os membros do governo estadual e do Centro de Contingência do coronavírus, o Estado já registrou o total de 349.287 mil pessoas recuperadas da Covid-19, com 67.799 mil altas hospitalares.

Na quarta-feira (29), o Estado chegou a um total de 529 mil casos de Covid-19, sendo 22.710 óbitos. Os leitos de UTI têm uma taxa de ocupação de 65% no Estado e de 63% na Região Metropolitana de SP.

“São Paulo é praticamente o único estado brasileiro que tem esta informação completa da testagem da população diante do vírus”, afirma o secretário Marco Vinholi, de Desenvolvimento Regional.

Leia mais  Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, divisão de bloco é ‘natural’

Atualmente, São Paulo processa 20 vezes mais testes por dia em comparação à fase inicial da pandemia, com aumento gradativo a cada mês. Em março, a média diária era de 900 exames, sendo quadruplicada já em abril, com 3,9 mil por dia. Em março passa a ser três vezes maior, com 12,3 mil testes diariamente.

No mês de junho, o balanço atualizado ultrapassa 23 mil exames, com a expectativa de pelo menos assegurar a manutenção desta média após consolidação de julho. A média preliminar é de 21,3 mil por dia, mas o abastecimento segue em curso com a inserção dos dados enviados à saúde pela iniciativa privada.

Tipos de testes

A proporção dos tipos de testes utilizados demonstra que, a cada 10 diagnósticos, 6 são realizados por meio de RT-PCR (transcriptase polimerase); cerca de três por teste rápido e um por outros métodos. Em março, apenas o PCR era realizado.

Os exames PCR servem para confirmar se a pessoa está infectada, sendo indicado até o sétimo dia de sintomas gripais. Já os testes rápidos permitem identificar se o paciente já foi contaminado no passado e passou a possuir anticorpos contra o coronavírus, com recomendação de uso após o 8º dia de sintoma ou para pessoas assintomáticas.

Leia mais  Santa Casa volta a ter leitos clínicos e de UTI lotados

Além disso, recentemente, uma deliberação do Estado passou a solicitar, das secretarias municipais de saúde, a realização do exame RT-PCR aos pacientes sintomáticos do terceiro ao sétimo dia de sintomas, aumentando a abrangência das testagens.

A testagem em massa auxilia na condução das estratégias para reduzir a transmissão do coronavírus. A partir do momento em que um paciente tem um diagnóstico positivo, ele é isolado. Soma-se a isso o monitoramento das pessoas com quem ele teve contato, contribuindo para a identificação de novos casos suspeitos, ou seja, pessoas com sintomas como tosse seca, febre e falta de ar.

Casos e óbitos

Ontem (30), o Estado chegou a 22.710 óbitos e 529.006 casos confirmados do novo coronavírus. Do total de casos diagnosticados, 349.287 pessoas estão recuperadas, sendo que 67.799 foram internadas e tiveram alta hospitalar. As vítimas fatais são 13.091 homens e 9.619 mulheres. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 75% das mortes.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI eram de 62,9% na Grande São Paulo e 65,1% no Estado. O número de pacientes internados estava em 12.263, sendo 7.164 em enfermaria e 5.099 em unidades de terapia intensiva. (Ana Cláudia Martins, com informações do Governo do Estado de São Paulo)

Comentários