Sorocaba e Região

Empresa fecha e deixa 60 funcionários sem rescisão

Por meio de nota, a empresa explicou os motivos dos problemas
Empresa fecha e deixa 60 funcionários sem rescisão
O prédio onde funcionava a empresa está fechado desde abril. Crédito da foto: Fábio Rogério

Atualizada em 22 de junho, às 09h08

A multinacional I9 Life, que tinha a sede administrativa brasileira em Sorocaba, encerrou desde abril as atividades na cidade, de surpresa, sem dar baixa na carteira de trabalho de pelo menos 60 colaboradores, sem quitar verbas rescisórias e deixando para trás salários atrasados e pagamentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Com isso, os trabalhadores não conseguem resgatar o FGTS ou dar entrada no seguro-desemprego. Eles têm tentado contato sem sucesso com representantes da I9 Life.

Uma das funcionárias mais antigas da empresa, que pediu para não se identificar, disse que além da falta de comunicação sobre o encerramento das atividades, a maioria dos funcionários vinha convivendo com atraso nos salários.

Além disso, segundo ela, o FGTS não era pago desde dezembro de 2018. “Em Sorocaba, do administrativo, 60, 70 pessoas estão nessa situação. Fora os funcionários do centro logístico em Minas Gerais e os gerentes e atendentes espalhados pelo Brasil. Diria que 160, 170 funcionários estão atingidos por esse descaso, fora os que atuavam nos Estados Unidos, Colômbia e Peru”, declara a moça, que vem enfrentando dificuldades para arcar com as contas mensais.

De acordo com a denunciante, a situação piorou quando a empresa foi vendida, em dezembro de 2018, quando os salários começaram a ser atrasados. “O último salário que recebemos foi em 20 de abril”, afirma.

A colaboradora da empresa diz que alguns dos prejudicados têm ligado e mandado mensagens a representantes da multinacional. As ligações não têm sido atendidas, assim como as mensagens.

Leia mais  'Operação Dignidade' é realizada no Centro e em Aparecidinha

 

Gustavo Henrique Mendes Ribeiro, 19, também trabalhou na empresa, na área jurídica. “Tenho todas as contas atrasadas porque não estou recebendo, não consigo dar entrada no seguro-desemprego e nem sacar o FGTS”, acrescenta ele, que já acionou um advogado.

Resposta da empresa

A i9life foi adquirida pelo grupo GCF Brasil no final de novembro de 2018, sendo a terceira gestão da empresa e já apresentava há muito tempo dificuldades financeiras. No contrato de compra e venda havia cláusulas de que o grupo teria até 150 dias para levantar ativos e passivos e concluir o negócio, porém, não foram apresentadas as documentações necessárias até hoje para este levantamento e o grupo acionou juridicamente os últimos donos pela Quarta Vara de Sorocaba, inclusive já com liminar favorável para a apresentação dos documentos.

Os fundadores compraram a empresa de Sorocaba que fornece o sistema comercial WI na qual também temos uma ação civil. Sem entregar para a i9life o código fonte não temos como auditar se os bônus gerados e as premiações estão corretas, fizemos pagamentos no escuro durante 4 meses e para piorar, os fundadores montaram uma empresa concorrente (DNA Mundi) levando boa parte dos distribuidores através da difamação insistentemente da i9life nas redes sociais o que impactou fortemente o faturamento da empresa.

Os fundadores foram indiciados criminalmente pelo Ministério Publico e os tramites legais estão ocorrendo. Já do ponto de vista contábil, a empresa responsável pela contabilidade Patrimonium bloqueou os serviços e informações e não conseguimos efetuar os recolhimentos dos funcionários.

Um dos últimos donos entrou com uma ação de impedimento e bloqueou o estoque do Centro Logístico de Minas Gerais, então a empresa não teve mais como entregar os produtos aos clientes e nem honrar com os compromissos. O processo para liberação do estoque está em andamento no tribunal para decisão, acreditamos na justiça e estamos aguardando a liberação dos estoques para a retomada das atividades.

A sede administrativa da i9life foi transferida para Guarulhos em uma sede própria para a redução de custos, os colaboradores antigos estão sendo dispensados e uma nova estrutura administrativa está sendo contratada neste momento.

Devido todas estas dificuldades, a i9life que apesar dos problemas que enfrentou nos últimos meses, possui diversas filiais pelo Brasil e estoque suficiente para a retomada das atividades, além de milhares de revendedores que dependem e ainda acreditam neste negócio.

As unidades de Colômbia, EUA e Peru ainda estão em propriedade dos antigos donos, não recebemos a posse e constatamos diversas irregularidades: Produtos sem registros, falta de fechamento de câmbio e passivos não honrados por eles incluindo os fundadores.

Em resumo, percebemos que na primeira gestão a empresa abriu irregularmente operação fora do país com suspeita de evasão de divisas, compra de imóveis do exterior com dinheiro da i9life e possuem inquérito na Segunda DVCAR suspeita de roubo de carga ou sem problemas fiscais, além de criação dentro da rede comercial da i9life de posições fake que levavam mensalmente grande parte do lucro da rede.

Já na segunda gestão, a falta de documentos contábeis, desorganização e o não repasse de contratos impediu que a empresa se estruturasse adequadamente.

No final deste processo os fundadores fugiram para os EUA, depois de ter levado mais de R$ 15 milhões da i9life e trabalham em nome de terceiros no Brasil, os últimos donos levaram mais de R$10 milhões em matéria-prima comprada em nome da I9life para a Fashion Cosméticos e um contador vendeu 10 filiais da empresa e levou consigo estes montantes que segundo os ex-sócios foram usados para a compra de imóveis em Lagoa da Prata, além de ter aberto uma empresa Patrimonium Imobiliario para burlar a justiça, em nome dos filhos menores de idade.

Há mais de 30 anos, adquiro empresas no Brasil, sei do potencial da i9life, acredito na empresa e no Brasil e temos o compromisso de fazer o melhor para a recuperação da empresa, iremos honrar com os colaboradores antigos e assim que tivermos a retomada do negócio daremos uma posição mais concreta a todos. (Esdras Felipe Pereira)

Comentários

CLASSICRUZEIRO