Sorocaba e Região

Empoderamento feminino é sinônimo da emancipação da mulher

Com o empoderamento, as mulheres conquistam independência e quebram barreiras
dia da mulher
Bárbara ressalta importância de cada uma fazer as próprias escolhas – Foto: Fábio Rogério

O termo “Empoderamento Feminino” tem ganhado destaque nas redes sociais, programas de TV, rodas de conversa e até propagandas. Muito além de uma terminologia, é com esse poder que se consolida uma geração de mulheres mais independentes, que quebram barreiras, padrões e expectativas sociais. “É a retomada de um poder que nos foi tomado por muitos anos por uma cultura machista e patriarcal”, explica a psicóloga e condutora de círculos de mulheres, Bárbara Marques Nunes.

A profissional ressalta, no entanto, que a popularidade do termo o levou a ser “cooptado” comercialmente, sendo utilizado até para vender maquiagem, por exemplo. Ela explica que muitos movimentos feministas e de mulheres optam pelo termo “emancipação feminina”. “Até porque empoderar às vezes pode ser confundido com ficar por cima, tomar o poder da maneira que o patriarcado tomou”, diz.

Leia mais  Empoderamento feminino é destaque no espetáculo ‘Cabaré das Martas’

 

Trabalhar fora ou ficar em casa com os filhos, pintar o cabelo, abolir a depilação ou usar rosa são todas opções válidas, desde que conscientes. A psicóloga ressalta a importância das mulheres estarem livres a fazer as próprias escolhas para definir o seu próprio conceito de feminino com autenticidade, menos julgamento e mais apoio das outras mulheres. Com frequência ouvimos sobre a existência de uma suposta “rivalidade feminina”. “Esse discurso faz muito bem para a manutenção do machismo, porque divide as mulheres”, explica.

Para a psicóloga, as mulheres podem fortalecer umas às outras. Um auxílio que pode fazer toda diferença em alguns espaços, como de trabalho por exemplo. Bárbara destaca que existem muitas formas de praticar a sororidade — a união entre as mulheres. “Você pode fazer isso com as mulheres da sua comunidade, vizinhança, do trabalho, da sua família. Atuar localmente apoiando as mulheres perto de você, não precisa estar em um movimento feminista ou um grupo voltado para empoderamento feminino”.

O constante estado de “enfrentamento” com a sociedade machista, no entanto, pode ter um impacto emocional. “Uma das coisas que nos fortalecem para essa luta é o autocuidado, é buscar formas de se fortalecer, de se acolher”, orienta.

Comentários