Sorocaba e Região

Distribuidoras de gás já limitam venda de botijões por clientes

Objetivo é não deixar produto faltar diante da crise do coronavírus
Distribuidoras de gás já limitam venda de botijões
A procura pelos botijões de 13 quilos aumentou nos últimos dias em Sorocaba. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (26/3/2020)

Depois da corrida por frascos de álcool em gel e máscaras, os sorocabanos começaram a comprar mais botijões de gás de cozinha, de 13 quilos. E para não faltar, algumas revendedoras estão limitando a quantidade por cliente.

Os donos de revendedoras afirmam que ainda não há a falta do produto na cidade e que as distribuidoras estão conseguindo atender a alta demanda.

Segundo eles, as vendas do botijão de gás de cozinha aumentaram nos últimos dias por conta da pandemia do novo coronavírus.

Com medo de começar a faltar na cidade, muitos sorocabanos foram em busca do produto. Porém, em algumas cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) o botijão de gás de cozinha já estava em falta. Em Araçoiaba da Serra, por exemplo, no início da semana os moradores não estavam mais achando o produto em praticamente nenhum lugar.

Na terça-feira (24), o Cruzeiro do Sul entrou em contato, por telefone, em dois estabelecimentos, que confirmam a falta do botijão de gás de cozinha por conta da alta procura.

Leia mais  Comércio de rua poderá escolher entre dois horários para funcionar em Sorocaba

Em Sorocaba, as revendedoras estão vendendo o produto sem parar. Enquanto que as vendas diárias giravam em torno de 20 a 30 botijões por dia, atualmente elas vendem entre 40 a 60 unidades diariamente.

Apesar do aumento nas vendas, os donos dos estabelecimentos afirmam que as distribuidoras estão conseguindo repor os estoques quase que diariamente para evitar a falta. Eles acreditam ainda que as vendas devem diminuir um pouco nos próximos dias e se estabilizarem. Os revendedores contam que toda esta situação foi causada pela pandemia do novo coronavírus, e isso, consequentemente aumenta o consumo do gás de cozinha pelas famílias.

O proprietário de um estabelecimento na Vila Angélica, José Feitosa Natal, afirma que em sua loja o aumento nas vendas está em torno de 40%. Ele disse que, até o momento, o botijão de gás de cozinha não está em falta. “Tivemos somente um atraso na entrega em um dia, e ficamos sem o produto por algumas horas. Era para chegar pela manhã, mas chegou no período da tarde”, disse.

O comerciante conta ainda que moradores de outras cidades têm vindo para Sorocaba porque não estão encontrando o produto onde moram. “Esses dias recebi um cliente que mora em Itu e ele disse que lá não tinha encontrado botijão de gás de cozinha em lugar nenhum. Daí ele levou três, pois comprou para alguns familiares também”, diz.

Leia mais  Parte do comércio não essencial abre no centro de Sorocaba, mesmo sem permissão

Já em um estabelecimento da Vila Fiori, segundo um funcionário, as vendas do botijão de gás de cozinha, de 13 litros, estão limitadas a duas unidades por cliente. “A procura aumentou bastante por conta do coronavírus e para não começar a faltar o dono limitou a venda”, disse.

Já em relação aos preços os comerciantes disseram que o botijão de 13 quilos está sendo vendido a R$ 75 na cidade. Na semana passada, a Petrobras anunciou a redução no preço gás de cozinha (GLP) em 5%.

O anúncio ocorreu devido às cotações internacionais do petróleo, que estavam em forte queda com o avanço do surto do novo coronavírus no mundo e a desaceleração da economia global. (Ana Cláudia Martins)

Comentários