Sorocaba e Região

Correios de Sorocaba recebem mais de 900 cartas de Natal

Brinquedos, roupas, material escolar e doces estão entre os pedidos endereçados ao Papai Noel
Correios recebem mais de 900 cartas de Natal
Alcione: prioridade dos presentes é dada para as crianças em situação de vulnerabilidade. Crédito da foto: Emidio Marques

Com o Natal se aproximando, muitas pessoas são tomadas pelo espírito solidário e decidem realizar o pedido de presente de uma criança. Somente na tradicional Campanha Papai Noel dos Correios, aqui em Sorocaba, mais de 900 cartas já foram entregues na agência localizada da rua São Bento, no Centro. Dessas, ao menos 70% já foram adotadas. Entre os pedidos mais comuns estão brinquedos, roupas, material escolar e doces.

Somente nos últimos três anos, em todo o Brasil, foram recebidas mais de 2,6 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios. Nas cidades do interior paulista, foram mais de 317 mil cartinhas recebidas no último triênio. No ano passado Sorocaba teve 1.097 cartas selecionadas e 813 adotadas (74%). No Interior todo, 107.321 cartas foram selecionadas e 70.750 adotadas (66%).

Leia mais  Decoração natalina é tradição que se renova a cada ano

 

Segundo Alcione Quadros, gerente da agência local, o objetivo principal da ação é responder às cartas das crianças que escrevem ao Papai Noel e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Para participar, a criança deve ter até dez anos e a carta precisa ser escrita à mão. É comum também a chegada de correspondências escritas pelas mães, que fazem pedidos para os filhos que ainda não sabem escrever. “Recebemos muitas cartas de mães pedindo roupas para bebês”, destaca Alcione.

Correios recebem mais de 900 cartas de Natal
Há 18 anos a funcionária Priscila Siani faz a seleção das cartas. Crédito da foto: Emidio Marques

Disseminar o encantamento do Natal por meio da campanha só é possível com a ajuda dos empregados dos Correios e da sociedade brasileira. A funcionária Priscila Siani é a responsável, há 18 anos, por ler todas as cartas, cadastrar no sistema dos Correios e colocar as correspondências na caixa para que as pessoas possam ler e realizar os pedidos das crianças. “Algumas cartas emocionam muito. Algumas crianças contam que nunca provaram Nutella e Doritos, por exemplo, e pedem isso de presente de Natal”, conta.

Há alguns anos a dona de casa Gilda Scatena, 67, vai até a agência dos Correios selecionar algumas cartas para, junto com a filha, comprar os presentes pedidos. “Antes eu fazia por conta própria. Encontrava pessoas que estivessem precisando de ajuda e comprava algumas coisas para ajudar, mas agora adoto algumas cartinhas. No ano passado levei quatro.” Lendo algumas cartas para escolher qual adotaria, Gilda conta que viu alguns pedidos de enxoval, doces e brinquedos.

Correios recebem mais de 900 cartas de Natal
As cartinhas devem ser entregues até dia 7. Crédito da foto: Emidio Marques

Os Correios, através da assessoria de imprensa, divulgou que há cerca de cinco anos pedidos de alimentos ou cestas básicas são desclassificados e segundo Alcione isso ocorre porque era comum crianças pedirem itens para a ceia natalina, como peru, farofa e bolos e alimentos desse tipo estragavam até a entrega. “No caso de cesta básica, corre o risco de ter coisas vencidas, por isso fazemos a seleção e damos prioridade para cartas escritas pelas próprias crianças, pois costumam ser mais autênticas e emocionantes”, afirma.

Leia mais  Campanha Natal Solidário pede a doação de kit de incentivo ao estudo

 

As crianças poderão entregar as cartinhas nos Correios até o dia 7 de dezembro e os padrinhos poderão adotar as cartas e entregar os presentes até o dia 14. Segundo Alcione, neste ano mais pessoas estão participando da ação e conforme os presentes são entregues na agência, os funcionários fazem a conferência do endereço da criança e já autorizam a entrega para a residência. “Durante a seleção todas as cartas são numeradas, assim como o envelope com o endereço da criança. Quando o padrinho traz o presente ele precisa trazer o número da cartinha que escolheu para que a gente enderece e despache”, explica Alcione.

A gerente da agência conta também que não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado ao padrinho. Além de ser uma forma de preservar a identidade das crianças, é uma forma de manter a magia do Natal, pois para a criança, a figura do Papai Noel está por trás dessa entrega tão especial.

Critérios

Segundo os Correios, é selecionada apenas uma carta por criança. A campanha contempla também crianças estudantes das escolas da rede pública (até o 5º ano do ensino fundamental) e de instituições parceiras como creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos. É importante que a cartinha encaminhada aos Correios, além de obedecer os critérios exigidos, tenha o endereço correto da criança. (Larissa Pessoa)

Comentários