Sorocaba e Região

Com metade da frota, ônibus em Sorocaba seguem lotados

Usuários reclamam e somente na semana passada aumento de passageiros foi de 21%
Com metade da frota, ônibus estão lotados
Em alguns horários e linhas a superlotação dos ônibus acaba gerando aglomeração entre os passageiros. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (8/6/2020)

Apesar da flexibilização da quarentena, que resultou na reabertura de alguns setores da economia em Sorocaba desde o último dia 2, o sistema de transporte público municipal segue operando com metade da frota. Usuários relatam lotação em determinados horários, o que contraria as orientações de distanciamento social defendidas pelas autoridades de saúde, a fim de diminuir os riscos de contágio pelo novo coronavírus.

Desde o dia 26 de março, o transporte municipal vinha rodando com 40% da frota, conforme acordo firmado entre a Prefeitura, o Sindicato dos Rodoviários Sorocaba e Região e as empresas concessionárias. O acordo foi assinado após três dias de paralisação dos motoristas, liderada pelo sindicato da categoria, deflagrada por conta do agravamento do quadro de propagação do novo coronavírus na cidade.

De acordo com a Urbes — Trânsito e Transporte, empresa pública que gerencia o transporte, a ampliação da frota, para o percentual de 50%, ocorreu no último dia 1º de junho, totalizando 177 ônibus em circulação. Mesmo assim, usuários relatam superlotação em algumas linhas e horários. “Os ônibus do Carandá também estão lotados principalmente no horário da manhã, que todos vão trabalhar”, escreveu a leitora Sônia Silva.

Leia mais  Mulher é detida pela segunda vez após causar aglomeração em Sorocaba

 

Conforme levantamento feito a pedido do jornal Cruzeiro do Sul, na semana de 1º a 7 de junho, considerando os dias úteis, houve crescimento de quase 21% da demanda de passageiros, se comparado aos dias úteis de maio. Em maio foram transportados, em média, 31 mil passageiros por dia útil o que, segundo a Urbes, representa 18% da demanda transportada antes da pandemia do novo coronavírus. Em junho, a média em dia útil foi de 38 mil passageiros, um crescimento de 24% da demanda transportada em comparação com o período anterior à quarentena.

No último sábado, dia 6, o primeiro após a reabertura do comércio, o sistema transportou 21 mil passageiros, crescimento de 39% da demanda em comparação com os sábados de maio, que tiveram média de 15 mil passageiros. O número representa 28% da demanda de sábado antes da pandemia. Já no primeiro domingo de junho houve redução de 15% de passageiros em relação aos domingos de maio.

Espera

A leitora Daniele Alonso relata que o número reduzido de ônibus também tem prejudicado os usuários que trabalham no shopping do Campolim, que, conforme o plano de reabertura, está funcionando até às 19h. Passageiros tendem a ficar esperando quase uma hora no ponto de ônibus. “Não quer manter até meia-noite tudo bem, mas foi reaberto o shopping e entre outros [serviços], então estende mais um pouco [o horário dos ônibus]”, opina.

A Urbes admite que linhas de bairros com maior adensamento populacional, especialmente as que atendem as regiões norte e oeste da cidade, como Paineiras, Ana Paula Eleutério, Herbert de Souza, Altos do Ipanema, Carandá e São Bento, são as que têm registrado o maior número de passageiros. Como medidas para evitar eventuais aglomerações, a empresa diz que “linhas de bairros com maior adensamento populacional tem reforço nas ofertas de viagens, com a circulação de mais ônibus nos horários de pico”. A Urbes afirma, ainda, que reforça e fiscaliza diariamente a operação do transporte coletivo, solicitando adequações às empresas sempre que necessário. (Felipe Shikama)

Comentários