Covid-19 Sorocaba e Região

Cinco cidades da Região Metropolitana de Sorocaba decretam emergência

Votorantim, São Roque, Porto Feliz, Tatuí e Salto de Pirapora adotam medidas de prevenção ao coronavírus
Cinco cidades da RMS decretam emergência
Prefeitura votorantinense anuncia medidas para enfrentar as consequências do coronavírus. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (6/12/2019)

O prefeito de Votorantim, Fernando de Oliveira Souza (DEM), decretou na tarde desta quinta-feira (19) situação de emergência no município, tendo em vista as medidas para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. O mesmo fizeram, além de Sorocaba, outras quatro cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS): São Roque, Porto Feliz, Tatuí e Salto de Pirapora. O decreto permite agilidade das prefeituras para a adoção de medidas, incluindo compras sem necessidade de licitação.

Em Votorantim, o decreto é o 5.903 e deverá vigorar enquanto durar a necessidade do combate ao Covid-19. Decisão vem após Ministério Público ter instaurado na quarta-feira (16) procedimento para acompanhar a situação na cidade.

Conforme a Prefeitura de Votorantim, um dos alcances das medidas é a proibição do corte no fornecimento de água e de energia elétrica no município, pelo prazo de 90 dias. Pelo decreto poderão ser tomadas uma série de ações, a critério da Administração Municipal, como por exemplo a requisição de bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, garantida a posterior indenização ou pagamento; a dispensa de licitação para a aquisição de bens e serviços, conforme dispõe a legislação federal.

Leia mais  Estado do Rio de Janeiro confirma primeira morte por coronavírus

“Enquanto perdurar o estado de emergência, fica vedada a expedição de alvarás ou autorização para realização de eventos, públicos ou privados, que possam acarretar aglomeração de pessoas. Os órgãos competentes adotarão as providências necessárias para a revogação dos alvarás ou autorizações já expedidas”, diz nota divulgada pela Prefeitura.

Ainda conforme o documento, todos os contratos de fornecimento de bens e prestação de serviços em vigor deverão ser revistos e adequados às restrições que também foram impostas pelos dois últimos decretos baixados nesta semana sobre o enfrentamento ao coronavírus.

O texto também considera o cancelamento da realização das audiências públicas pela Câmara prorrogando, excepcionalmente, para 31 de agosto o prazo para o envio, ao Poder Legislativo, da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) referente ao exercício de 2021. Esta exceção será objeto de um projeto de lei específico, a ser encaminhado à Câmara em 15 dias.

Leia mais  Vacinação contra a gripe em Sorocaba continua em 13 locais

Ministério Público

A decisão da Prefeitura vem após o Ministério Público, a exemplo do que ocorreu em Sorocaba, ter aberto um procedimento para acompanhar a Prefeitura de Votorantim no enfrentamento do coronavírus. O procedimento foi aberto na quarta-feira (16) pelo promotor Luiz Alberto Meirelles Szikora.

O chamado Procedimento Administrativo de Acompanhamento (PAA) tem como objetivo fiscalizar as ações e as medidas administrativas deflagradas pelo Município de Votorantim para prevenção, controle e contenção de riscos de danos e agravos à saúde das pessoas no território do município, em decorrência da pandemia do Covid-19, provocado pelo coronavírus.

No procedimento, o MP solicita, com prazo de dez dias úteis para atendimento, que o Executivo informe, de maneira detalhada e específica, as providências que já foram adotadas e as que ainda serão, inclusive quanto ao Plano Municipal de Contingência.

O promotor questiona ainda as providências no sentido da prevenção do contágio da enfermidade Covid-19, inclusive quanto às medidas de distanciamento e isolamento social e quanto às medidas relativas à não realização de atos que importem comparecimento de maior número de pessoas, em recintos abertos e fechados.

Leia mais  Focar em intriga deixa pessoas menos informadas sobre covid-19, diz Bolsonaro

Szikora também pede informações sobre a preparação para atendimento adequado às diversas pessoas que, ao tudo indica, serão acometidas pela doença Covid-19, no território de Votorantim.

Outro ponto questionado é sobre a aquisição de medicamentos, insumos e equipamentos destinados ao atendimento adequado às diversas pessoas que, ao tudo indica, serão acometidas pela doença. Por fim, ele ainda questiona se há contratação de serviços médicos, de enfermagem e hospitalares (inclusive unidades de terapia intensiva), destinados ao atendimento adequado às diversas pessoas.

Pela manhã, a Prefeitura de Votorantim informou que as demandas solicitadas pelo MP serão prontamente respondidas, especialmente em se tratando do plano municipal de contingência para as medidas preventivas a serem adotadas pelo município em relação à pandemia do coronavírus e, inclusive, já estudava declarar emergência no município. (Marcel Scinocca)

Comentários