fbpx
Sorocaba e Região

Chimpanzé que recebeu cigarro foi identificado e passa bem, diz santuário de Sorocaba

Instituição registrou ocorrência na polícia após vídeo circular nas redes sociais
O santuário fica na zona rural de Sorocaba e abriga animais vítimas de maus-tratos. Crédito da foto: Erick Pinheiro (26/08/2019)

O chimpanzé que aparece fumando um cigarro em um vídeo nas redes sociais foi identificado e passa bem. A informação foi divulgada pelo Santuário dos Grandes Primatas de Sorocaba na noite desta quarta-feira (22). Segundo a instituição, o animal, chamado Cláudio, foi avaliado pela equipe de veterinários do local e não foi encontrado qualquer sinal de ferimento.

O santuário informou, ainda, que restos de fumo foram encontrados perto de uma janela, “o que também demonstra a maior probabilidade do ato ter sido cometido nos últimos dias”.

Conforme a instituição, uma cerca que delimita a área do santuário com uma propriedade vizinha foi forçada. O local acredita que foi por esse caminho que os criminosos fizeram a invasão.

Leia mais  No Santuário: Black sai da quarentena e recebe visitas

 

De acordo com informações do santuário, o chimpanzé Cláudio tem dez anos e chegou ao local ainda bebê. Ele é “bastante ativo, inteligente e alegre” e se dá bem com os outros hóspedes.

O santuário é filiado ao The Great Ape Project (GAP) e ficou conhecido após receber o chimpanzé Black, que morava no zoológico de Sorocaba. Ele foi transferido em maio após decisão judicial.

Medidas de segurança

A instituição também destacou que fez um reforço na segurança do local após o ocorrido. As janelas dos recintos que fazem fronteira com a propriedade vizinha foram fechadas.

“É importante frisar que o local sempre priorizou a segurança dos animais e das pessoas, por meio das instalações e procedimentos dos profissionais, além de não abrir o local para visitação – o que também impactaria muito o bem estar dos animais”, diz em nota.

Também conforme a instituição, toda a área do santuário é cercada e contém avisos claros de que é uma propriedade particular, na qual não é permitida a entrada sem autorização.

Polícia e MP investigarão o caso

O caso de maus-tratos ao animal será investigado pela Polícia Civil. Um boletim de ocorrência foi registrado nesta quarta-feira (20), pelo santuário, no 2º Distrito Policial de Sorocaba.

MP questiona abandono de pás eólicas
Segundo o promotor, os autores podem ser responsabilizados civil e criminalmente por maus-tratos ao animal. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (16/6/2016)

O Ministério Público também já acompanha o episódio envolvendo o chipanzé. Um inquérito civil foi aberto, na mesma data, pelo promotor de Justiça do Meio Ambiente de Sorocaba, Jorge Alberto de Oliveira Marum.

No documento, Marum solicita informações sobre os fatos aos representantes do santuário. Segundo o promotor, os autores podem ser responsabilizados civil e criminalmente por maus-tratos ao animal.

Vídeo circulou nas redes sociais

As investigações ocorrem depois que um vídeo, que registra a ação, passou a circular pelas redes sociais. As imagens ganharam notoriedade na noite de terça-feira (20), após serem compartilhadas pela ativista Luisa Mell em uma rede social.

Nas imagens, o animal já aparece com o cigarro na boca. Dois jovens falam no vídeo – enquanto um ri, outro, que inclusive mostra seu rosto, diz que “está fumando um com o brother” (sic). Depois, o outro rapaz observa que chimpanzé queimou a boca.

Suspeita de invasão

O santuário, por sua vez, informa que os responsáveis pelo ato não fazem parte do seu quadro de funcionários. A suspeita, segundo o santuário, é que a dupla tenha invadido o local.

“Burlando a segurança da propriedade, provavelmente acessada por meio de outra propriedade aos fundos, além do crime de invasão, os autores cometeram crime ambiental de maus-tratos aos animais, fazendo-o inalar substâncias tóxicas nocivas ao seu organismo”, destaca por meio de nota.

Santuário diz que fechou as janelas dos recintos que fazem divisa com outra propriedade. Crédito da foto: Erick Pinheiro (28/06/2019)

O texto destaca ainda que os invasores colocaram em risco as suas próprias vidas e a integridade física dos animais residentes.

O santuário é uma propriedade privada dedicada à reabilitação de animais, em sua maioria vítimas de maus tratos e que são provenientes de circos e zoológicos do Brasil e de outros países. O local fica na zona rural de Sorocaba, às margens da rodovia Castelo Branco. O chimpanzé, uma das espécies abrigadas, é ameaçado de extinção.

Comentários

CLASSICRUZEIRO