Sorocaba e Região

Centro Universitário de Sorocaba desenvolve caixa de intubação para hospitais

O equipamento foi aprovado pela Santa Casa, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo e Hospital Regional
Fab Lab da Facens desenvolve caixa de intubação para hospitais
A ideia do novo equipamento de proteção foi levada à Facens pela Santa Casa de Sorocaba. Crédito da foto: Divulgação

A caixa de intubação, que é um Equipamento de Proteção Individual (EPI) utilizado por profissionais de saúde quando precisam realizar o procedimento nos pacientes, teve um protótipo desenvolvido no Fab Lab da Facens, em Sorocaba. O equipamento foi aprovado pelas equipes médicas da Santa Casa de Misericórdia, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) e do Hospital Regional de Sorocaba.

De acordo com o coordenador do Fab Lab da Facens, Ântoni Romitti, após o desenvolvimento, o EPI passou a ser produzido nesta semana. A caixa de intubação, explica, é colocada em cima da cabeça de pacientes — sem tocá-los — por onde o médico insere as mãos e realiza a intubação, enquanto se mantém protegido das secreções comumente expelidas durante esse tipo de procedimento. A proteção é essencial para tratamento de pacientes infectados pelo Covid-19, devido ao alto nível de contágio que o vírus apresenta.

O novo instrumento, lembra Romitti, deve ser sempre utilizado em conjunto com os demais EPIs, como máscara, luva e escudo facial. Durante a intubação, é comum o paciente tossir e engasgar, promovendo o efeito de aerossol. Essas gotículas expelidas expõem os médicos e demais profissionais a alto risco de contágio do novo coronavírus. O EPI, usado principalmente dentro de centros cirúrgicos e Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), pode ser reutilizado após higienização.

A ideia do novo equipamento de proteção, de acordo com Romitti, foi levada à Facens pela Santa Casa de Sorocaba. O hospital entrou em contato com a instituição em busca de auxílio para o desenvolvimento de um protótipo. Um modelo com melhor ergonomia foi desenvolvido pela equipe do Fab Lab Facens.

Desde que a Covid-19 começou a se espalhar pela Brasil, Paulo Roberto Freitas de Carvalho, reitor da Facens, conta que a equipe tem buscado incessantemente maneiras de contribuir com o setor de saúde e a sociedade. “Nos sentimos muito animados quando a Santa Casa nos procurou para o desenvolvimento dessa caixa de intubação. Agora temos não um, mas dois EPIs em produção”, destaca.

Além da caixa de intubação, a Facens contribui também com a produção e doação de escudos faciais, feitos em uma fazenda de impressoras 3D criada na instituição de ensino. Os dois projetos são supervisionados por Romitti. As iniciativas também têm colaboração de Karen Abrão, médica responsável pela área de Saúde e Tecnologia em Saúde do Centro Universitário, e do Diretor de Operações do IPFacens, Lester Faria. (Larissa Pessoa)

Comentários