Sorocaba e Região

Moradores do Central Parque e Piazza di Roma cobram parque linear e praça

Moradores pedem agilidade nas obras, que foram lançadas pela Prefeitura em meados de 2018
Bairros cobram parque linear e praça
Parque linear foi lançado em junho passado e área começou a ser preparada em outubro – Foto: Emidio Marques

Moradores dos bairros Central Parque e Piazza di Roma cobram mais agilidade no andamento das obras de um parque e de uma praça na região: o Parque Linear Professora Virgínia Lyra Mascarenhas Brisotti e a Praça da Juventude. O projeto da praça foi entregue em 2013 para a Prefeitura de Sorocaba, mas não foi executado pelo governo do ex-prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), apesar de a proposta ter recebido recursos federais da ordem de R$ 2.106.000 para a concretização.

Encabeçada pelo governo do prefeito José Crespo (DEM), a solicitação de contratar uma empresa para o início das obras de construção da praça foi assinado pelo titular da Secretaria de Esportes e Lazer (Semes), Simei Lamarca, em setembro do ano passado, mas até ontem as obras não começaram.

Já o parque, que está orçado em mais de R$ 2 milhões, teve solenidade de lançamento pelo prefeito Crespo em junho do ano passado. Depois, no início de outubro, o Saae-Sorocaba deu início aos trabalhos de preparação da área para o parque linear nas imediações da rua Salomão Barbado, onde equipes modificaram duas galerias de água de chuva, cujos lançamentos provocaram erosão. Na sequência, o Saae iniciou a terraplanagem para recompor a área tomada pela erosão para recuperar aproximadamente 5 mil metros quadrados em cerca de mais 60 dias. A Prefeitura de Sorocaba foi questionada a respeito, mas até o fechamento desta edição não houve resposta.

As duas obras são reivindicações antigas dos moradores da região e foram elaboradas pela Associação de Moradores do Piazza di Roma. O presidente da entidade, Manoel Borges, esteve em reunião no Paço Municipal, na semana passada, para cobrar o governo municipal sobre o andamento dos trabalhos. “Fomos pedir um cronograma de obras para sabermos quais são as próximas etapas, mas a burocracia atrapalha um pouco e dá mais morosidade ao processo”, diz.

Leia mais  Saae Sorocaba inicia trabalhos de preparação da área para o parque linear

 

Moradores aguardam quiosques e equipamentos

Considerado o maior parque da cidade e um dos maiores de todo o interior do Estado, com mais de 380 mil metros quadrados, o parque linear abrange diversos bairros da zona oeste de Sorocaba, como o Piazza di Roma, Central Parque, Júlio de Mesquita, Vila Excelsior, Jardim São Marcos 2 e entorno. Conforme projeto elaborado pela Secretaria de Planejamento e Projetos (Seplan), há a previsão da implantação de playgrounds, academias ao ar livre com aparelhos de ginástica, quiosques com mesas e tabuleiros apropriados para a prática de disputas de dama e xadrez, campos gramados, quadra poliesportiva coberta, espaço com salas para a realização de atividades ambientais e sanitários. Além disso, estão projetadas duas pontes para interligar o parque. A Divisão de Plano Diretor da Seplan desenvolveu o projeto urbanístico completo do parque, incluindo um espaço ambiental e uma estufa, em atendimento à solicitação da comunidade.

De acordo com a Associação de Moradores do Piazza di Roma, foi feito um estudo no local que mostra que 20% das espécies de aves registradas em Sorocaba estão na área do parque, inclusive algumas delas ameaçadas de extinção, além de pelo menos 14 nascentes. O projeto de lei para a criação do parque linear foi aprovado no ano passado pela Câmara de Sorocaba.

Praça da Juventude

Bairros cobram parque linear e praça
Praça da Juventude ficou na solicitação para contratar empresa que fará as obras – Foto: Emidio Marques

Idealizada há seis anos, no início de 2017 a Prefeitura de Sorocaba decidiu implantar a Praça da Juventude em uma área verde entre as ruas Mário Soave e Érico Veríssimo, no bairro Central Parque. Para isso, várias secretarias receberam a missão de elaborar um projeto para a implantação da praça, em um espaço de 10 mil metros quadrados. Depois de amplos estudos, os secretários envolvidos tiveram que remodelar o projeto inicial para que pudesse receber a verba federal, que havia sido devolvida aos cofres públicos da União.

De acordo com a proposta, a Praça da Juventude tem condições para receber uma estrutura esportiva de alto nível, tanto para atividades recreativas quanto competitivas. O projeto prevê que a praça receberá diversos itens como ginásio poliesportivo, quadra coberta, áreas para atletismo, campo de futebol, pista de skate, teatro de arena e outros equipamentos.

Na rua Mário Soave já existe uma praça, mas o local não oferece praticamente nenhuma estrutura de lazer. Para o presidente da Associação de Moradores, é preciso cobrar para que a Praça da Juventude saia do papel, já que há anos os munícipes esperam por isso. “O mais difícil é conseguir a verba, aí vêm recursos federais para isso e o Executivo não faz a parte dele. Quem sofre com isso é a população, que espera anos por melhorias para ter mais lazer e qualidade de vida”, diz Manoel.

Comentários