Sorocaba e Região

Catador de recicláveis acusa GCM de agressão no Terminal Santo Antonio

Não houve registro de agressão, segundo a Secretaria de Segurança e Defesa Civil de Sorocaba
O caso ocorreu nas dependências do terminal Santo Antonio. Crédito da foto: Emídio Marques (30/6/2017)

Um catador de material reciclável alega ter sido agredido por um agente da Guarda Civil Municipal (GCM) em Sorocaba. O caso teria ocorrido sábado (1º), no período da noite, no interior do Terminal Santo Antonio, o maior e mais movimentado de Sorocaba.

Segundo a versão de Isauro Santiago, de 62 anos, ele entrou em um ônibus da Vila Barão em direção ao terminal e, nele, o motorista estaria conversando incessantemente com uma passageira, o que o incomodava. O catador de recicláveis, então, teria reclamado e chamado a atenção do condutor e da moça.

Leia mais  Morre Mayke, o 'cão terapeuta' da Guarda Civil Municipal

 

Quando chegou ao local de desembarque, conforme consta no relato de Santiago para o registro do boletim de ocorrência, a passageira “saiu furiosa indo até a Guarda Municipal”. Ao Cruzeiro do Sul, ele informou ter acompanhado a mulher até o posto da GCM e, ao entrar, passou a ser agredido por um dos guardas com golpes de cacetete. “Ele não deixou nem eu me explicar”, afirma.

Não há registro de agressão. Contudo, os fatos já estão sendo apurados pela Ouvidoria da Guarda Civil Municipal

No mesmo dia, após a agressão alegada, o catador de recicláveis garante ter sido expulso do mesmo terminal e avisado de que não deveria retornar ao local por pelo menos três meses. “Eu não mereço isso aqui, ninguém merece ser tratado dessa maneira, isso é tortura física, moral e psicológica”, declara ele, exibindo hematomas nas coxas e inchaço nas mãos.

Isauro Santiago, com um hematoma na coxa direita, mostra o boletim de ocorrência do caso. Crédito da foto: Erick Pinheiro

De acordo com Santiago, houve a necessidade de passar por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba. Além do boletim de ocorrência, ele foi nesta quarta-feira (5) à ouvidoria da Prefeitura de Sorocaba para abrir processo por abuso de autoridade. “Não estou podendo nem trabalhar, estou afastado”, cita ele, embora alegue não estar tomando medicação ou fazendo uso de algum tipo de pomada para as lesões.

Questionada, a Secretaria de Segurança e Defesa Civil (Sesdec) informa que houve o registro de ocorrência em nome do cidadão citado pelos guardas civis presentes no terminal Santo Antonio no último sábado. “No registro foi relatado que os guardas foram acionados pelo fiscal da empresa Consor, pois uma pessoa embriagada estaria causando transtorno no terminal.”

Nesse documento, consta ainda que os guardas identificaram o cidadão e, como nada de ilícito foi encontrado, ele acabou liberado. “Ou seja, não há registro de agressão. Contudo, os fatos já estão sendo apurados pela Ouvidoria da Guarda Civil Municipal”, alega, por meio de nota, a Sesdec. (Esdras Felipe Pereira)

Comentários