Covid-19 Sorocaba e Região

Casal de Sorocaba está retido no Marrocos por falta de voo para o Brasil

Os sorocabanos estão em Casablanca, foram orientados a permanecer no hotel e não têm previsão de retorno
Casal de Sorocaba está retido no Marrocos por falta de voo para o Brasil
Diego Pelegi Lobo e Bruna Cristina Dias moram em Sorocaba. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Um casal sorocabano está retido em Casablanca, no Marrocos. O motivo é a falta de voos para o Brasil em consequência da pandemia de coronavírus.

Diego Pelegi Lobo e Bruna Cristina Dias desembarcaram no Marrocos em 13 de março. Dois dias depois, souberam por meio do site da Embaixada Brasileira a suspensão de voos internacionais saindo do país situado no norte da África.

O retorno do casal estava previsto para 22 de março (domingo), mas as passagens foram canceladas pela companhia aérea Ibéria. “Foi determinado que nenhum voo entraria ou sairia de Marrocos”, explica.

Lobo tem 36 anos e é advogado. Bruna Cristina Dias tem a mesma idade e exerce a profissão de consultora de tecnologia. Eles são casados, moram no bairro Barcelona e viajaram a passeio ao Marrocos.

Orientação

O casal informou ter conseguido contato com o cônsul do Brasil no Marrocos. A orientação é para que permaneçam em Casablanca e aguardem a possibilidade de um voo extra.

Orientados a ficar no hotel, o casal tem se alimentado duas vezes por dia no local: no café da manhã e no jantar. Eles também têm conseguido comprar comidas em um pequeno supermercado. “Este é o cenário meu e da minha esposa, fato este que não condiz com a totalidade dos brasileiros aqui retidos.”

Os sorocabanos contabilizaram aproximadamente 40 brasileiros vivendo o mesmo caso em Casablanca. Eles têm se comunicado via WhatsApp. Porém, segundo Lobo, a Embaixada informou haver mais de 100 pessoas no Marrocos sem possibilidades de voltar para o Brasil.

Situação preocupante

Nesta quarta-feira (18), a situação dos sorocabanos permaneceu inalterada no Marrocos. O mesmo não ocorreu com outros brasileiros, segundo Lobo. “Foram notificados a saírem dos seus respectivos hotéis, os mesmos informaram que vão fechar por tempo indeterminado.”

Já outros brasileiros que estão com hospedagem vencida, ou prestes a vencer, encontram-se desesperados. Isso porque não possuem recursos financeiros para se manter mais tempo fora do País. “Há a necessidade de intervenção da embaixada brasileira e do governo federal”, conta Lobo.

Leia mais  São Paulo registra três novas mortes de coronavírus

 

De acordo com Lobo, os brasileiros no Marrocos querem ser repatriados. “Tal postura foi adotada pelos governantes da França e de Portugal, estes países encaminharam aeronaves para repatriar seus cidadãos.” (Bruna Deroldo)

Comentários