Sorocaba e Região

Casal coloca a mão na massa e constrói a própria casa em Votorantim

Antes de mergulhar no projeto, Jair Bueno da Silva Filho, marido de Marciele, ficou entre a vida e a morte após um acidente de trânsito
Jair Bueno da Silva Filho e Marciele Martins da Silva na casa construída por eles. Crédito da foto: Erick Pinheiro (11/6/2019)

Cada tijolo, azulejo, porta e janela da casa de Jair Bueno da Silva Filho, 22 anos, e Marciele Martins da Silva, 25, carrega um pouco do amor, da união e da história do casal. Isso porque eles decidiram literalmente colocar a mão na massa e construíram, juntos, a própria residência.

O casal, que mora no bairro Votocel, em Votorantim, sempre sonhou em conquistar o próprio lar. Mas um acidente envolvendo Jair interrompeu temporariamente esse desejo.

Em dezembro de 2017, o rapaz seguia de motocicleta para a casa da namorada quando bateu na traseira de um veículo parado na avenida Afonso Vergueiro. Segundo ele, o carro parou na via após ficar sem gasolina e a condutora não sinalizou o local adequadamente.

No momento da batida, os estilhaços dos vidros cortaram a garganta de Jair. Além disso, ele fraturou o punho direito e teve ferimentos nas costas e no peito. Por causa do acidente, permaneceu internado por cerca de cinco meses e meio.

Nessa época,  ele e sua companheira enfrentaram uma grande e árdua batalha. No entanto, os obstáculos, por maiores que fossem, não foram capazes de destruir os sonhos do casal.

O objetivo de obter a casa própria continuava firme. Foi então que, após receber alta, em 2018, Jair teve a ideia de construir, junto com Marciele, o imóvel. A mãe do rapaz cedeu um espaço no fundo de sua residência para que eles pudessem erguer a casa.

Os trabalhos demoraram cinco meses e, agora, já estão na fase final

Marciele aceitou a proposta e, juntos, os dois iniciaram as obras em dezembro do ano passado. Como Jair não podia fazer esforços nem inalar poeira, foi ela quem esteve à frente dos trabalhos, mas sempre contando com a ajuda do companheiro. Quando não estava trabalhando, Marciele, que é atendente de supermercado, produzia massa de cimento, assentava tijolos, auxiliava na colocação das telhas, levantava paredes e realizava muitas outras tarefas.

Durante as obras, o casal contou com a ajuda de amigos e familiares, principalmente do sogro de uma irmã de Jair, responsável pelo acabamento. Os trabalhos demoraram cinco meses e, agora, já estão na fase final.

Segundo Jair, falta apenas rejuntar as paredes do banheiro e da cozinha e a instalação elétrica. Eles já possuem, inclusive, quase todos os móveis e eletrodomésticos. “Só falta uma geladeira”, diz Jair. A casa conta com cozinha, um quarto e banheiro.

A residência construída pelo casal tem três cômodos. Crédito da foto: Erick Pinheiro (11/6/2019)

Cada etapa vencida era motivo de felicidade e comemoração.“Cada parede [levantada] era uma vitória”, lembra o rapaz. A ansiedade do casal esteve presente durante toda a obra, mas, agora, está ainda maior. Os sorrisos estampados nos rostos dos dois não escondem a alegria do casal por, finalmente, conquistar um lar construído, sobretudo, com alicerces de amor. “Vai ser o nosso cantinho”, completa Jair, emocionado.

Superação

Quem vê Jair feliz e empolgado não imagina os desafios pelos quais ele passou. Após o acidente, ocorrido em 12 de dezembro de 2017, ele ficou em coma induzido. Além disso, devido ao corte, levou mais de 30 pontos na garganta. E quando tudo parecia resolvido, aos 14 dias de internação, mais um choque: os médicos descobriram que o baço do rapaz havia rompido.

Jair, então, foi submetido a uma cirurgia para a retirada do órgão. Depois da operação, ele passou a sofrer de disfagia (problemas ou dificuldades para engolir alimentos). Por isso, podia se alimentar apenas por sonda.

Nessa época, a dor e a tristeza tomaram conta da vida do rapaz, já que ele não podia mais sentir o sabor de seus pratos favoritos. “Eu sentia o cheiro da comida da minha mãe e me trancava no quarto no almoço e na janta”, conta.

Ele foi submetido, também, a uma traqueostomia (abertura de orifício na traqueia e colocação de cânula para passagem de ar) para respirar melhor. Mais tarde, Jair descobriu um aneurisma na artéria carótida e, por isso, sua luta continuaria. Devido ao problema, ele precisava passar por uma nova cirurgia. A operação é realizada apenas em hospitais da capital paulista. Ele tentou em vários, mas todos se negaram a fazer o procedimento.

Em março de 2018, quando já estava sem esperanças, Jair finalmente recebeu a notícia que tanto queria ouvir: a cirurgia estava autorizada. Isso foi possível graças a uma ação da mãe do rapaz. Na ocasião, ela aproveitou que o então governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, estava em Sorocaba para a inauguração do novo Hospital Regional e lhe pediu ajuda. A mãe reuniu todas as documentações e exames e entregou a Alckmin.

Pouco tempo depois, Jair foi convocado para passar por triagem na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Em seguida, fez a operação.

Com isso, ele pôde voltar a comer. O primeiro alimento que degustou foi sorvete. Esse momento, segundo o casal, foi extremamente emocionante. “Ele até chorou”, lembra Marciele.

Leia mais  Febraban alerta para golpe virtual em compras para o Dia dos Namorados

 

Nessa época, Jair chegou a pesar 40 quilos, ficou sem andar, enfrentou problemas respiratórios severos e permaneceu um longo internado período, inclusive na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Apesar de todas essas dificuldades, ele não se deixou abater. “Uma coisa que eu sempre procurava fazer era sorrir”, diz. O apoio da namorada, hoje esposa, foi primordial para que ele se sentisse motivado a lutar por sua vida. “Ela é a minha base. É a pessoa certa. Hoje, é difícil quem fica com você na dificuldade”.

O casamento

Jair e Marciele se conheceram em 2017, e, como afirma ela, foi “amor à primeira vista”. Após um ano e meio namoro, o casal decidiu oficializar a união em 14 fevereiro deste ano.

Apesar de estarem casados, os dois se consideram eternos namorados, melhores amigos e companheiros de vida. “Ele é tudo para mim”, diz Marciele. (Vinicius Camargo)

Comentários