Sorocaba e Região

Bilhete do transporte coletivo com QR Code já está em uso em Sorocaba

Passageiros recebem orientações no terminal sobre novo sistema de passe de ônibus
Bilhete com QR Code já está em uso
Marcelo acredita que a nova tecnologia não vai influenciar muito em sua rotina. Crédito da foto: Erick Pinheiro

O novo sistema de bilhetagem do transporte coletivo de Sorocaba, lançado pela Urbes – Trânsito e Transportes no último sábado (24), está funcionando a todo vapor. Muitos usuários já tiveram contato com a espécie de nota fiscal em que há um QR code e serve como bilhete unitário. O sistema, segundo a autarquia, fará com que o cartão unitário seja retirado de circulação, embora ainda não haja previsão para tal. Também é possível, pelo aplicativo Cittamobi, comprar a unidade do “passe de ônibus” usando cartões de débito/crédito e gerar o QR code no próprio celular — além disso, há como recarregar os cartões Cidadão e Estudante pelo app.

A reportagem esteve no Terminal Santo Antônio, o de maior circulação na cidade. Lá, identificou que ainda estão sendo comercializados os cartões unitários nos guichês. “Mas a gente tem vendido a ‘notinha’ com o QR code para quem vai acessar o terminal imediatamente”, comentou uma funcionária, explicando que o código tem validade de 60 minutos. Nas catracas, ao menos no período em que a equipe permaneceu no local, cerca de 40 minutos, colaboradores da Urbes orientavam os usuários que portavam a nota com o QR code sobre como passá-la da maneira correta. “Todos os agentes foram capacitados e devem auxiliar os usuários”, informou a autarquia, que garante não estar havendo registros de atraso nos embarques devido à mudança.

Bilhete com QR Code já está em uso
O vendedor Bruno usou o sistema pela primeira vez na terça. Crédito da foto: Erick Pinheiro

O Cruzeiro do Sul ouviu a opinião de alguns passageiros a respeito da tecnologia implantada. O vendedor Bruno Camargo, 23, teve acesso à nota com o código pela primeira vez naquele dia. O jovem contou que soube do novo sistema pela televisão e não conhecia muitos detalhes. Ao receber a explicação de como funcionava, afirmou que “vai ficar mais prático”, mesmo ainda não sendo adepto do Cittamobi. O controlador de acesso Emerson Assis de Campos Junior, 21, costuma acessar o aplicativo, mas para outras funções, como a de acompanhar os horários de ônibus em tempo real. Ele elogia a possibilidade de comprar o bilhete unitário ou colocar saldo nos outros cartões. “Vai ser bom para diminuir as filas dos guichês. Também é bom se a pessoa estiver sem ‘passe’ em algum ponto de ônibus”, disse.

Bilhete com QR Code já está em uso
Cleiton: muda pouca coisa. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Já o estoquista Cleiton Andrade de Cabral, 19, e o operador regulador Marcelo Antonio da Silva, 47, acreditam que a tecnologia não vai fazer tanta diferença. “Para mim, que uso só o bilhete unitário, não muda muita coisa eu acho. Talvez para quem usa os outros cartões”, citou Marcelo.

Valores e reconhecimento facial

Segundo a Urbes, o investimento para o novo sistema foi de R$ 2,4 milhões. “O que antes gerava um custo mensal de aproximadamente R$ 600 mil de locação dos equipamentos, com o novo sistema passará a aproximadamente R$ 200 mil/mês”, explica texto da autarquia.

Além da tecnologia, a Urbes também implantou o reconhecimento facial, com a finalidade de coibir fraudes. “A sua utilização vai assegurar que titulares de cartões eletrônicos expedidos para estudantes e deficientes (beneficiados com redução ou gratuidade) sejam, efetivamente, os usuários transportados nos coletivos”, informa. “Se no processamento não for confirmada a similaridade entre as imagens (as feitas no ato e com as do banco de dados), ocorrerá auditoria para inspeção visual e verificação da desconformidade. Configurada alguma irregularidade, o benefício será bloqueado”, acrescenta.

Comentários

CLASSICRUZEIRO