Sorocaba e Região

Aumenta número de casos de doenças respiratórias

Marcel Scinocca – marcel.scinocca@jornalcruzeiro.com.br

O frio está aí e com ele há um aumento significativo nos casos envolvendo problemas respiratórios. Os números oficiais mostram essa evolução. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, em todo o Estado foram notificados entre janeiro e junho 841 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) atribuíveis ao vírus Influenza, causador de gripes, e 146 óbitos. No ano de 2017, foram 1.021 casos e 200 óbitos. Em 2018, ainda conforme a pasta estadual, a campanha de vacinação contra a gripe teve início no dia 23 de abril e já imunizou mais de 10,8 milhões de paulistas.

A importância da vacinação aumenta quando avaliamos os números atuais envolvendo os casos mais graves de gripe no Estado. Fazendo uma comparação simples e sem considerar variantes, os dados mostram um aumento de 65% nos casos de notificações e 46,5% nos casos de óbitos causados pela SRAG. Mesmo com o número proporcionalmente maior no período, a pasta alega que não há anormalidade. “É importante deixar claro que não há qualquer anormalidade epidemiológica em relação à gripe em São Paulo. O Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) monitora desde 2011 a circulação do vírus no Estado”, diz.

Enquanto o número de casos aumentou, a procura nas unidades de saúde também cresceu. De acordo com a Secretaria de Saúde de Sorocaba (SES), no período entre abril e julho do ano passado foram 282.330 atendimentos, uma média de 70.582 por mês. Para o mesmo período deste ano, a expectativa e de 294.444 atendimentos, ou 73.611 por mês. A projeção é de cerca de 12 mil atendimentos a mais. A SES estima que 35% desses atendimentos são por conta de doenças respiratórias.

Vacinação e cuidados

Leia mais  Dois morrem em acidente na zona norte de Sorocaba

A sazonalidade de outono / inverno gera uma oscilação muito brusca de temperatura e variação da umidade do ar. Esse ambiente climático traz um aumento da proliferação de vírus e bactérias que causam doenças respiratórias, principalmente nas crianças com imunidade incompleta. É importante, conforme recomenda a SES, que as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários da Campanha de Vacinação Contra a Gripe se vacinem. Os grupo são os seguintes: trabalhadores da saúde, indígenas, pessoas com 50 a 60 anos de idade ou mais, crianças de 6 meses a 9 anos, gestantes, puérperas, portadores de comorbidades, professores de escolas públicas e privadas, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade. Ele devem procurar pela vacina nas 32 Unidades Básicas de Saúde.

Em Sorocaba, durante a campanha da vacinação, os grupos formados por crianças entre 6 meses e 4 anos e 11 meses, o de trabalhadores de saúde, de gestantes e o grupo de puérperas — mulheres que deram a luz recentemente — não atingiram a meta de vacinação. A vacina da gripe disponível em Sorocaba e no Brasil todo contém proteção contra versão do H3N2, vírus que circulou com força no hemisfério norte em janeiro desse ano. A dose é composta por três cepas: A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09, A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016 (H3N2) e B/Phuket/3073/2013.

Leia mais  Votorantim inicia vacinação contra Covid-19 em pessoas de 67 anos

É preciso também evitar a exposição ao sol para não intensificar a desidratação, umidificar ambientes, hidratação por meio de muita água mineral e utilização de soro fisiológico para lavar as narinas. Pessoas portadoras de comorbidades devem redobrar a atenção aos cuidados da saúde e manter seus medicamentos em dia.

Estiagem pede hidratação como prevenção

A hidratação em períodos de estiagem é uma das principais recomendações para os sorocabanos. Segundo o médico e coordenador técnico da Secretaria da Saúde (SES), Lúcio Roberto de Oliveira das Neves, é preciso tomar bastante água pode ajudar no alívio de irritações na garganta, por exemplo. “A questão do tempo seco acaba irritando vias respiratórias e até aumentando a sensibilidade dos olhos”, destaca o médico. O tempo seco também provoca aumento na demanda pelos serviços de saúde municipais, com o agravamento de problemas respiratórios.

O médico ainda alerta que nessa época do ano, deve-se prestar atenção em doenças cardiovasculares, pois a pressão tende a aumentar, podendo causar infartos, por exemplo. O uso de vaporizadores para manter o ambiente úmido também auxilia, principalmente, nas noites de sono. Porém, a atenção para que o ambiente não fique úmido demais é de extrema importância, para evitar o crescimento de fungos. Na falta de vaporizadores, bacias de água e toalhas úmidas no quarto são opções, porém, também é necessária a atenção para não atrair mosquitos.

Leia mais  Região Metropolitana de Sorocaba já tem 136 mil infectados pela Covid-19

Baixas temperaturas devem prevalecer ao menos até o próximo sábado - FÁBIO ROGÉRIO

Baixas temperaturas devem prevalecer ao menos até o próximo sábado – FÁBIO ROGÉRIO

Frio até sexta

Já as temperaturas seguem baixas nos próximos dias, com mínimas abaixo dos 10ºC. Segundo a previsão do Inmet, elas devem começar a subir novamente a partir da próxima sexta-feira. Na quinta-feira a mínima em Sorocaba deverá permanecer em 7ºC e a máxima em 21ºC, na sexta mínima de 10ºC e máxima de 21ºC, e no sábado 13ºC e 25ºC. (Ana Claudia Martins)

Cidades da região têm óbitos por H1N1

Votorantim tem quatro casos confirmados de H1N1 este ano, segundo a Prefeitura da cidade. Há um óbito confirmado de um paciente que residia na zona rural da cidade e que foi atendido em Mairinque. O município também tem quatro casos suspeitos que aguardam resultado. Segundo o Departamento de Vigilância em Saúde, desses casos, há um óbito ocorrido em Sorocaba. Trata-se de uma criança de 12 anos.

Já na cidade de Tatuí foram confirmados sete casos positivos de Influenza A H1N1 neste ano. Segundo relatório da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da cidade, houve um óbito, de uma mulher, de 66 anos de idade, que faleceu em decorrência do problema em uma unidade de saúde, também de Sorocaba. (Marcel Scinocca)

Doses da vacina contra a gripe são fornecidas pelo SUS - EMIDIO MARQUES / ARQUIVO JCS (8/6/2018)

Doses da vacina contra a gripe são fornecidas pelo SUS – EMIDIO MARQUES / ARQUIVO JCS (8/6/2018)

Comentários